Sofisma do Kfuro

Alguém me disse, certa vez, que o Kfuro é sociólogo. Eu sou sociólogo, agora – depois de acompanhar as análises e interpretações que esse senhor faz da realidade – sei o porquê ter mudado de ‘profissão’. Na verdade ele não interpreta a realidade (ou tenta fazê-lo); ele a adapta ao que entende ser a sua verdade. O pior é que usa de sofisma para comprovar sua tese (com o perdão dos sofistas).

Alguns dias atrás o defensor da modernidade fez a seguinte pergunta em uma enquete em seu Blog: Os leitores preferem: Campeonato Paulista; Campeonato Carioca ou Torneio Rio-São Paulo, como a abertura da temporada das equipes desses Estados?

Lógico que sabemos o motivo da pergunta. Ele, moderno que é, defende torneios mais rentáveis (?), tipo campeonatos interestaduais, disputados pelas grandes equipes do futebol nacional (regionalmente). As pequenas que se arrumem e disputem os torneios menores.

Mas, nesse momento o que importa não é o que ele pensa ou deixa de pensar, mas a maneira que ele interpreta os resultados da enquente. Vamos lá. Eis o post com o resultado:

“RIO-SÃO PAULO NA CABEÇA

Dos 2714 que responderam à sondagem, 44,03% escolheram o torneio regional, enquanto 42,41% preferem o estadual de São Paulo e 13,56% o do Rio.”

Eu nem precisaria continuar com meu raciocínio para mostrar que a pergunta contém uma ‘pegadinha’ e que a resposta – lógico – contém um erro estatístico, qualquer ‘rábula’ mais atento saberia decifrar a esperteza do senhor Kfuro, mas vamos lá.

Somem, usem a mais elementar das operações matemáticas e vejam o resultado: 55,97% preferem os campeonatos regionais. Claro que o Kfuro sabe somar, ele cursou o ensino fundamental. Mas, sua miopia e o desejo de comprovar que ele é moderno o impedem de acompanhar o senso comum, afinal ele tem que ser diferente, ele é o máximo. Para isso, levanta falsa questão (ou a coloca de maneira enviesada), falseia os resultados, inventa manchete e distorce a realidade.

Se o Sr. Kfuro quisesse uma resposta que demonstrasse a preferência de seus leitores e não comprovar a sua tese deveria perguntar basicamente a preferência entre duas, não três, respostas possíveis. Estaduais ou Regionais? Eis a pergunta correta para uma resposta sem um resultado já sabido de antemão.

Releve-se ainda o fato de ser uma enquete, releve-se ainda o fato de mesmo em uma enquete haver a possibilidade de um empate (técnico), fiem-se apenas nos números. Não dá mais para acreditar em alguém que a todo o momento prega a transparência, mas trata seus leitores como néscios, e que tenta – através de subterfúgio – mantê-los na escuridão, que esconde deles até a verdade mais aparente. O mito da caverna, sr. Kfuro, é a mais elementar aula de qualquer curso de filosofia. Aliás, se chegastes ao segundo semestre de sociologia, deves ter lido este texto, esta metáfora. Tenha dó de seus leitores. Trate-os com respeito. De minha parte, o senhor perdeu o respeito.

Não entro nem no mérito da rentabilidade, da modernidade… Foi o senhor que nos apresentou o tema como uma simples questão de gosto, de números. Respeito a maneira com que fez (através de números), apesar de não concordar, mas então, o faça com isenção, transparência e responsabilidade.

Em tempo: Não sou daqueles que acreditam em uma única verdade. Ela pode ser ‘muitas’ (se me entendem). Mas, para aqueles – como o Kfuro – que ainda enxergam o mundo de forma bipolar, dividido entre o bem e o mau, entre 1 e 0 (tipo computador), usar expressão como verdade se faz necessário. É condição, sine qua non para um bom entendimento. Por isso, a usei, apesar de não acreditar nem na palavra, nem em seu conteúdo.

No mais, adoro os regionais. É neste tipo de campeonato que aprendi o que é rivalidade, é neste tipo de campeonato que aprendi a saborear uma vitória de meu time contra o maior adversário. Afinal, meu vizinho, meu amigo de boteco e meu colega de trabalho torcem por um time de meu Estado, não de Manchester, não da Argentina, não do Rio de Janeiro… Viva o Campeonato Paulista, com todos os seus erros e suas distorções, mas á aqui que quero ver meu time campeão. Os outros títulos também serão bem recebidos, mas sem esse não há graça.

É isso!

______________

Há no Blog do Kfuro, aquele que voltou, sem nunca ter ido, uma afirmação forte – mais uma vez para mostrar que um de seus desafetos é do mau – sobre o time do Santos: “Como ainda é chover no molhado dizer que o Santos hoje é vítima de um presidente que não larga o osso, mas que deixou o futebol do clube ser gerido por dois anos pelo técnico, que foi embora sem ganhar nenhum título realmente importante e deixou a terra arrasada até no centro de recuperação de atletas.” [grifo meu]
Sobre essa afirmação não direi nada, quem tem que dizer é o técnico que geriu a equipe, o presidente que não larga o osso. Mas, que é forçar a barra – mais uma vez – para comprovar que a verdade está com ele, isso é.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: