Estatuto do verdadeiro torcedor

Por compartilhar com 100% do que foi escrito pelo Teo, e depois de ver a discussão sobre o tema no Parmerista, resolvi reproduzir o ‘estatuto’ por aqui. Além disso, publico o que ele escreveu lá no debate do Parmerista justificando os poucos exageros, pois é de futebol que falamos, é de paixão que falamos, então, é de exageros que falamos. Não entender isso vai contra a essência do futebol. É isso.

‘ESTATUTO DO VERDADEIRO TORCEDOR’

1. Futebol não é festa.
2. Futebol não é divertimento.
3. Futebol não é um bom lugar para passeio.
4. Futebol não é um ambiente saudável, ao contrário, é doentio.
5. Evite levar criança ao estádio, a menos que esta seja mais madura que você (no meu caso não é difícil).
6. Evite levar mulher ao estádio, a menos que ela seja mais homem que você.
7. Evite levar qualquer pessoa ao estádio que não esteja focada na vitória do seu time.
8. Não use uma partida de futebol para networking profissional e/ou social. O ideal é que, ao te verem no estádio, todos se envergonhem de você.
9. Acredite em você, nas suas impressões e opiniões sobre seu time.
10. Despreze completamente a opinião da imprensa esportiva.
11. Se você acha que seu time vai ganhar, talvez ele ganhe.
12. Se você acha que seu time vai perder, ele vai perder. Vá ao jogo assim mesmo.
13. Não deixe que o trabalho atrapalhe o futebol.
14. Não deixe que nenhum programa ou compromisso atrapalhe o futebol.
15. Não deixe que um romance atrapalhe o futebol.
16. Não deixe que nada atrapalhe o futebol.
17. Acima do futebol, só a saúde. Ela que te permite viver para o futebol.
18. Seu melhor amigo é o seu time.
19. Despreze quem não gosta de futebol.
20. Ignore quem não gosta de você pelo fato de você gostar de futebol.
21. Fique onde você quiser no estádio, ignore os lugares numerados.
22. Nunca assista ao jogo ao lado de um torcedor adversário.
23. Odeie seu adversário no dia do jogo.
24. Identifique seu inimigo e odeie-o todos os dias da sua vida.
25. Debata com torcedores adversários verdadeiros, menospreze os farsantes.
26. Se um dia você for a um estádio sem alambrado, fosso ou qualquer divisão para o campo, sinta vergonha. O Brasil não é a Inglaterra.
27. Não relaxe durante o jogo.
28. Evite sorrir durante o jogo.
29. Não xingue os jogadores do seu time durante o jogo. Alguns merecem, mas não vai adiantar.
30. Xingue a arbitragem em todos os jogos, isso te fará bem.
31. Não se esforce por ingressos para torcedores ocasionais e oportunistas. Cuide do seu e dos legítimos habitantes daquele espaço sagrado.
32. Refute ser tratado como consumidor, você é apenas torcedor. Por sinal, você é muito mais que consumidor.
33. Cuide da sua própria segurança, nunca espere nada da PM.
34. Proteja-se da PM.
35. Volte do estádio sempre com a sensação do dever cumprido.

______________________
No debate do Parmerista o Teo (autor) escreveu o seguinte:

At 26/2/09 12:52, Blogger Teo disse…

Rapaziada,

O ponto é que o estatuto (ou anti-estatuto, pouco importa a denominação que dois amigos deram para o texto, o que vale é a compilação) foi carregado de ironias e alguns exageros, no propósito de radicalização mesmo.

Por força do horário (coisas dessa maravilha modernosa, o PFC, sabe, que marca jogo terça-feira às 19h30), assisti ao jogo contra a LDU em um bar e ao término do jogo, os palmeirenses, freqüentadores do bar, legítimos consumidores do produto futebol achavam graça não sei exatamente do que. E dá-lhe celular durante o jogo, e convites do tipo “vem bambi, tô num bar aqui perto, vem pra cá tomar uma gelada”. E o jogo parecia ser um detalhe irrelevante, que apenas ilustrava o happy-hour de muitos dos que ali estavam.

Não me considero mais palmeirense que ninguém. Nunca disse isso. Só não encaro o futebol como mais um programa qualquer. É no futebol que construo parte da minha alma e o Palmeiras havia acabado de perder um jogo importantíssimo, não dava pra não acusar o golpe. O estatuto veio como forma de desabafo.

O ideal seria eu também dissertar sobre os 35 itens ou talvez relatar as minhas sensações de quando levei minha filha ao estádio em um Palmeiras X Corinthians (a levei outras vezes também) no Morumbi, mas nem vale a pena. O Barneschi deu a tréplica, é por aí.

Estou realmente do lado oposto dos consumidores e essa discussão será interminável. E humildemente, não acredito estar com a razão nesse debate, por entender que não exista o lado correto. Acredito que o business deveria ser apenas um suporte à atividade futebol (melhores contratos de patrocínio, cotas de TV, etc). Mas o vejo invadindo, permeando e destruindo a essência e a identidade do futebol que eu aprendi a amar. Tornando-o excludente. Sei que o caminho é irreversível e que essa minha “luta” é inglória e perdida.

Como leitura indispensável, cito o artigo: O esporte que vendeu sua alma, de Marcos Alvito, publicado na Revista Piauí. Ed. de dez/07. (Não achei o link, mais alguns blogs o reproduziram, inclusive o 3VV).

Em breve teremos o terreno preparado para que no Brasil apareçam maravilhas modernas tipo Chelsea e a freqüência no estádio seja exclusividade dos endinheirados (Saudades da geral do Maraca, mas sabe vamos proibir, a visão não é boa. Perguntaram pros geraldinos?).

Quando isso ocorrer, espero ainda encontrar um doce refúgio na várzea paulistana, onde ao lado do meu pai construí parte dos meus valores de débilmental alienado recalcado e outras delicadezas aqui proferidas, que enriqueceram em muito o debate.

Abraços,
Teo

É isso aí Teo. Brilhante no estatuto, brilhante na explicação.

Cada um que faça a sua escolha. Eu sei que eu vou perder mais essa batalha, infelizmente para todos.

6 Respostas to “Estatuto do verdadeiro torcedor”

  1. Forza Palestra Says:

    Grande Ademir!Podemos ser uma espécie em extinção, mas lutaremos até o fim pela nossa honra e por aquilo em que acreditamos.Faltou você no boteco hoje, pois eu e o Rapha falamos bastante sobre o assunto.Nos vemos amanhã no Palestra!Abraços

  2. Ademir Castellari Says:

    Grande Barneschi, pena não ter ido. A extinção demorará, pois resistiremos até o fim. Quiçá, nem minhas filhas vejam. Como disse alguém: No pasarán.

  3. Pinho Says:

    fico p da vida de morar no interiorrrrrrrrrrrr de sp e não poder desfrutar de ver nosso amado Verdão e tb de desfrutar desses papos nos botecos da vida.saudações alviverdes.

  4. Teo Says:

    Ademir, valeu mesmo. Pelo apoio e identificação com o texto.Espero que a discussão se encerre, nem precisava de tanto desgaste. Mas vamso nessa, defesa de ideais é algo que não podemos prescindir.AbraçãoTeo

  5. Ademir Castellari Says:

    Grande Teo, nada como o desgaste que você deve ter passado por ter a coragem de expor as entranhas do ‘verdadeiro torcedor’. Quanto a mim nada mais fiz que defender um ponto de vista que acredito e compactuo. Abraço.

  6. PorcoNews n. 41 « Says:

    […] contrapõe ao interesse da TV. É lei pra inglês ver. Até porque, pra mim, e pros meus também, o Estatuto do Verdadeiro Torcedor é […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: