Ademir Da Guia

Para muitos hoje o Divino amanheceu menos santificado. Ao vestir a camisa do maior inimigo da torcida do Palmeiras ele maculou sua história. Inclusive há no blogue do Raphaello a proposta de se derrubar a estátua que foi erguida no clube em homenagem a um de seus maiores ídolos [leia aqui].

Tenho certeza que se perguntarmos à maioria dos jogadores que envergam – ou envergaram – o manto sagrado qual o nosso maior inimigo a maioria não saberá responder, outros sairão pela tangente e outros dirão que se trata de outra equipe. Com raras exceções – Oberdan Catani é uma delas – os jogadores de futebol não tem a dimensão – por falta de conhecimento histórico, por incapacidade intelectual etc. – que tem a torcida sobre seus rivais, sobre a história de sua equipe, sobre seus inimigos. Isso para mim é um mal de que padecem a maioria dos jogadores, com o Divino não é diferente.

O Divino, o maior jogador de futebol que eu vi jogar – pouco, pois ele estava em final de carreira quando eu ainda era garoto – sempre foi uma figura ingênua, calada, tímida, talvez por isso (não se posicionar) não tenha conquistado espaço na seleção nacional, mesmo sendo quase unanimidade entre torcedores e críticos.

O Político Ademir Da Guia, se elegeu pelo PC do B e trocou de partido inúmeras vezes, tenho informações (fontes) que sua carreira política sempre foi ‘tocada’ por políticos profissionais, muito por conta das características que já citei: ingenuidade, timidez, falta de posicionamento.

Ou seja, Ademir Da Guia, igual ao Divino, sempre foi uma figura muito útil, mas – ao mesmo tempo – se deixando levar por aqueles mais espertos que ele.

Nesse caso, não tenho dúvidas que ele mais uma vez se deixou levar por figuras mais espertas que ele, não sabia (agora vai saber) o que a atitude dele poderia significar, não teve a dimensão do que sua atitude poderia causar para a sua imagem, mas principalmente, para sua imagem junto à torcida que o idolatra.

Para mim, o Divino continuará a ser o maior jogador de futebol que vi atuando com a camisa do Palmeiras, um dos maiores – talvez o maior – ídolo da história do Palmeiras, e não é uma ‘pelada’ jogada com vereadores e com o criador de factóides MAC que me fará considerá-lo maior ou menor para a história do Palmeiras; história, aliás, que o time que ele vestiu a camisa não tem, ídolos que a torcida da equipe que ele vestiu a camisa não sabe cultuar, e talvez por isso busquem desconstruir a imagem dos ídolos alheios.

Para mim, deveríamos dar ao fato a dimensão real que ele tem, qual seja, nenhuma.

Compreendo a revolta daqueles que se sentiram ofendidos, como compreendo aqueles – que como eu – não dão importância alguma ao fato.

Quanto ao Ademir Da Guia político jamais vote nele, por conhecer sua maneira de se comportar perante a vida – típicas dele, as quais respeito também – não o considero apto a me representar no parlamento. Quanto ao Divino, o jogador de futebol, continuarei esperando que outros defendam as cores do Palmeiras em campo com tanta maestria.

Que saiba agora que o político Ademir Da Guia pode, muitas vezes, manchar a biografia do mito Divino.

Para encerrar, sem a permissão do autor, copio aqui um trecho de um depoimento escrito no Orkut (comunidade do Palmeiras) pelo Manuel:

Amigos e Amigas

“…hoje vejo uma foto de Marco Aurelio Cunha e Ademir da Guia, ambos com a camisa do Sao Paulo, em um evento. O que dizer ? Simples: mais uma vez vemos o quao oportunistas sao os sao-paulinos, maldosos e sabedores do mal que fazem ao fomentar a rivalidade. Sim, foi de caso pensado. Articuladores de facil manipulacao, projetaram um jogo entre vereadores para fazer notar que tudo podem, ate vestir o Divino como bem querem. Usam e abusam da boa vontade, e indicam que a posicao do vereador Marco Aurelio Cunha na prefeitura nao foi por acaso.

Mas, para infelicidade do Sao Paulo, o tiro mais uma vez saiu pela culatra. Pergunto: e dai ?

Ademir vestiu na sua carreira apenas uma camisa aqui em Sao Paulo: e foi a do Palmeiras. Ademir da Guia sera sempre lembrado como O DIVINO, para despeito da divindade do Sao Paulo. Ademir mostra que sua boa vontade é fruto do verdadeiro, e nao do falso.

Ademir hoje pode vestir sim, qualquer camisa. Mas nada apaga o que ele fez na historia do Palmeiras. Se assim fosse, o que seria de Rivelino usar a camisa do Palmeiras na despedida do Divino ?

Sempre digo que respeito é o minimo que esperamos. E hoje tenho certeza que muitos sao-paulinos ficaram com uma inveja terrivel de ver o Divino com a camisa deles atraves de um ato de ma indole, enquanto sabe que Divino é o senhor no Palmeiras.

Quiseram comprar um Rei, esqueceram que Ademir é Divino

Quiseram surrupiar nosso Divino, e esquecem que ele é Palmeirense.

A todos, quero acabar com algo que me deixou muito feliz. Sim, fora conhecer pessoas como Custodio, Bruno e Kleine, vi mais. Vi Joelmir Beting e entendi porque tanto respeito por ele. Vi Leivinha pela segunda vez na vida, na outra foi num voo para Sao Jose do Rio Preto. Vi Dudu, e imaginei o desrespeito de quem nao o conhece.

E vi Ademir. Nao, nao este da foto. Vi o Ademir em pe, do lado de fora, dando autografos, tirando fotos.

Nao consegui comprar o livro. Algo que farei no futuro. Mas ganhei a noite.

Antes mesmo de ver tal foto, compreendi que nada nesta vida pode apagar ou manchar a Historia Divina do Ademir Da Guia, o Divino.

Nao sei se terei outra oportunidade nesta vida. Mas entendam:

Nao pedi autografo. Olhei nos olhos do Divino, e apertei sua mao. E disse apenas “OBRIGADO”.

Manuel Martinez Gomes”

Anúncios

2 Respostas to “Ademir Da Guia”

  1. Hiran Says:

    Não o vi jogar, o conheci apenas como ídolo, e pelo que meu pai me dizia dele. Claro, a primeira reação que tive quando vi a foto no Estadão hoje (sem maiores explicações do fato) foi de choque e raiva mas, creio, entendi a situação. Como elas não tem uma camisa 10 na história como foi o Divino, só resta usurpar os ídolos dos outros times. Ótimo texto! E ainda acho melhor nessa situação que aquela do Pelé, que vestiu a camisa do SPFW numa propaganda que saiu no começo do ano, não lembro de quem. E a torcida do Santos não deixou de reverenciá-lo.

  2. natan Says:

    Nunca imaginei ver o Ademir fazer tal atrocidade com a torcida do Palmeiras, principalmente com os mais velhos como eu.Que falta de senso, de visão, que coisa de mau gosto, será que nunca ouviu falar de nosso ódio pela sub-raça?Claro que ouviu e sabe, cometeu um pecado com sua própria imagem, com sua história, com seu passado que até então era glorioso.Morreu hoje quem eu pensava ser imortal, morreu o Divino, da pior forma que um símbolo pode morrer, de vergonha!Se fosse qualquer um outro, desses jogadores novos que nunca leram a história do Palmeiras, seria desastroso mas tolerável.O velho Da Guia não poderia jamais ter se apequenado, virado comum ao se infestar com tudo que representa aquela maldita camisa.Não tinha o direito de profanar o espaço que ocupa em bronze ao lado de Junqueira que jamais seria subjugado dessa forma tão humilhante e grotesca.Que fique a estátua até que eu possa CUSPIR nela, como faziam os napolitanos com seus traidores.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: