O mal da liberdade de expressão

Eu poderia ficar aqui procurando as palavras para poder dizer tudo que necessita ser dito sobre esse pederasta sem o menor caráter que é o Paulinho (1nh0). Poderia passar horas a fio tercendo loas ao meu amigo, companheiro, Palmeirense de quatro costados, profissional competente, pai exemplar, Raphael. Não o farei. Não o farei porque tudo que haveria de ser dito já o foi no brilhante texto do também amigo e companheiro de luta Claudio. O reproduzo logo abaixo:

O mal da liberdade de expressão

Acalmem-se. Apesar o impacto do título, este espaço não vem propor a volta da censura. Muito pelo contrário, a democratização até certo ponto exagerada que a internet proporciona é bacana, obviamente quando seguida de responsabilidade. Há, no entanto, gente muito ruim e mal-intencionada que, não se sabe o motivo, virou referência de moralidade e justiça – sobre isso, falamos aqui. Esses tipos exageram tanto nas bobagens que nos fazem chegar ao ponto de lamentar a liberdade de expressão.

No meio desse bolo de arautos da retidão, há um talzinho que todos conhecemos. Aquele com dois CPFs e cara-de-pau suficiente para, simultaneamente, ficar devendo R$13 numa locadora de vídeo e cagar regras diariamente em seu blogue. O sucesso de audiência que o alavancou para a calçada da fama, vale lembrar, se deve justamente ao fato dele ter sido outrora linkado no maior portal brasileiro, às custas do padrinho famoso.

E aí, diante de tanta insignificância, você pode se perguntar: para que gastar vela para defunto tão ínfimo? Porque, meus caros, quando insultam um amigo teu, você precisa se manifestar. O talzinho tem todo o direito de galhofar dirigentes de clubes e federações, técnicos e jogadores milionários, políticos e o escambal, mas não o de interferir na vida pessoal de um desconhecido usando a mentira como ferramenta. Os peixes grandes têm por onde se defender mais facilmente, as pessoas comuns só tem os seus para contar – e nesse contexto mora a crítica à “liberdade de expressão”.

Voltemos ao escopo. Todos que se dignam a sair de casa para enxergar o mundo e descrevê-lo a partir da experiência vivida sabem que o Seo Cruz, a voz feroz do blogue Cruz de Savóia, é o Raphael, com quem tive o prazer de dividir inúmeras geladas na mesa do bar. Quem não sabe disso, não quer, não precisa ou não merece. No entanto, uma coisa é apontar o dedo na rua a quem adora um holofote e busca fama a todo custo; outra é expor, indevidamente, alguém cujo anonimato é garantido pelo cotidiano e que não deve nada a ninguém. Mas como diz minha mãe, e ela nunca erra, nem todo mundo tem caráter.

Pessoalmente, também há um sentimento de participação indireta pelos insultos desta sexta-feira 13 por conta de um comentário postado e censurado (praxe naquele espaço inóspito) nesse outro texto. Confiram:

“Claudio Disse: O seu comentário está aguardando moderação.
Novembro 13, 2009 às 10:51 am | Responder

Blogueiro Inho é beijador de mãos de Citadini e do ex-poder corrompido do Corinthians.

Nas horas vagas, brinca de ser jornalista e de inventar denúncias sem provas.

‘Estranhamente’, faz isso no mesmo site que teve como endereço de registro um apartamento na Cincinato Braga.

Apartamento que é freqüentado por empresários e jogadores.

Tudo isso avalizado pelo chefe da máfia, o Juquinha.

Deve ser coincidência.”

Quero acreditar que o senhor Paulo Cezar Andrade Prado será ignorado solenemente pelo Terra, portal referenciado e onde trabalha (reitero que TRABALHA e faz um serviço genial, ao invés de ser bancado por um velho de gosto duvidoso) o Raphael. Fora isso, me surpreende um boçal continuar escrevendo o que escreve sem sofrer as conseqüências legais – e por que não físicas? – de suas palavras.

Termino comparando a postura dessa gentinha da máfia juquiniana da moralidade esportiva – e cito os nomes de Vitor Birner, PVC, Paulo Calçade etc. – com a daquele moleque que passa a vida a testar os limites de tolerância dos pais e, ao completar 18 anos, sai pelas ruas matando gente com seu carrão esportivo ou batendo indiscriminadamente nos outros para treinar o seu jiu-jitsu. São todos atos legitimados pela tal liberdade democrática que nos fazem engolir goela abaixo. E convenhamos: nada mais previsível essas atitude, já que na riqueza de linguagem e no debate argumentativo, essas múmias não têm nem chance.

Recado do editor do blogue: a hora desse pederasta, pedófilo, mitômano, mau-caráter, vai chegar. Em breve. Quem viver verá!

Anúncios

Uma resposta to “O mal da liberdade de expressão”

  1. Ademir Castellari Says:

    Daniel Modernel Junqueira (Deletei erradamente)Fudido o texto!!!eu concordo com tudo!se tao grave é falar "Vamos a guerra" mais grave ainda é expor uma pessoa com Foto, local de trabalho e sobrenome sem um pingo de responsabilidade!Agora eu pergunto, se algo de mau acontecer com o Raphael podemos culpar um site que divulga local de trabalho, foto e sobrenome?Creio que sim, isso pode ser incitar a violência do mesmo jeito!eu até tentei argumentar a tarde porém…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: