Tristeza

Em tempos de internet há encontros que se constroem sem nunca se ter cruzados caminhos. Se conhecem pessoas, seres humanos, amigos… sem nunca se ter fitados os olhos da outra pessoa. Amizades, companheirismo e gostos comuns se criam; não há a necessidade premente do encontro aqui e agora, mesmo que ele seja planejado, querido, desejado.

Hoje, um desses encontros, um desses cruzamentos de olhar, uma dessas amizades se foi. Sem nunca ter ouvido a voz, sem nunca ter cruzado um olhar, fiquei sabendo que perdi uma amiga, uma companheira de sofrimento, uma Palestrina…

Recebo, com incredulidade – através da rede de amigos, companheiros, confidentes – que perdemos para a vida (afinal, iniciamos a morte ao nascermos) a querida Flavinha Mercaldi.

Nem sei o que dizer. Somente digo que estou muito triste. Mas, como consolo – para todos nós – nos sobra que talvez ‘a morte seja o segredo desta vida’.

“Que minha cinza alimente a erva e que a erva alimente outro Homem como eu…”.

Tristeza!

Anúncios

Uma resposta to “Tristeza”

  1. Lucas palmeirense da oposição Says:

    oi! quer trocar de link cmg? espero sua resposta no meu blog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: