Palmeiras 2 x 0 Bambis – De bate Pronto

Covardia Bambi

Fazia tempo que não vi uma equipe jogar de forma tão covarde contra o Palmeiras. Foram noventa minutos e nenhuma jogada de área, somente dois chutes a gol e ambos de fora da área. Desde o início do jogo estava claro que vieram para empatar ou apenas para jogar em nossos erros, que não aconteceram.

Mudanças do Palmeiras 1-Lateral direita

Não entendi o Figueroa ter sido barrado. Não li ou ouvi em nenhum lugar que tenha sido por problemas físicos, o que me faz concluir que saiu por deficiência técnica. Não o considero um “gênio da bola”, mas ele é melhor que o Wendel. Apesar de reconhecer que ontem foi uma das melhores partidas do Wendel nos últimos tempos, pois fechou o lado do J. Wagner e não comprometeu.

Mudanças do Palmeiras 2 – Lateral esquerda

Essa eu compreendo, pois o Armero há muito não vem jogando nada, alem disso tem comprometido o sistema defensivo com seus inúmeros erros. A entrada do garoto Eduardo foi a segunda mudança (e maior surpresa) do novo técnico do Palmeiras. O garoto apesar de meio desengonçado, e de estar nitidamente nervoso no início do jogo, achou seu espaço, mostrou seu jogo, cumpriu a função de fechar a direita, e ainda encontrou tempo de tentar o ataque. Partida correta, apenas com um erro de passe no final – quando já estava 2 X 0 – que propiciou um contra ataque que foi rechaçado pela defesa verde.

Mudanças do Palmeiras 3 – Volantes

Ao contrário do Muricy que adora um meio de campo povoado de marcadores, entramos com dois volantes (Pierre e M. Araújo), o que não comprometeu a linha defensiva, muito pelo contrário, e possibilitou um meio mais criativo, com Xavier e D. Souza. Esse último, para mim, que cumpriu uma função mais tática, abrindo pelas pontas, chamando a marcação para si, e abrindo espaço no meio para a chegada do M. Araújo e do Xavier. Grande sacada, mas que é pouco para o que pode D. Souza.

Mudanças do Palmeiras 4 – Ataque

Com as mudanças no meio, apenas dois volantes, Antonio Carlos promoveu a entrada de Lenny, ao lado de Robert, no ataque, o que aumentou o nosso poder de fogo. Além disso, enquanto a condição física permitiu Lenny infernizou a vida dos beques Bambis. Ele precisa apenas deixar de cai-cai.

Mudanças do Palmeiras 5- Atitude

Não sou leviano em dizer que os jogadores queriam derrubar o técnico Muricy. Além disso, precisamos acompanhar o desenrolar do campeonato para ver se a ‘vontade’ mostrada no jogo não foi apenas fogo de palha, mas que o time mostrou outra atitude não tenho dúvida. Dizem aqueles que acompanham o dia-a-dia do Palmeiras que em apenas três dias o novo técnico conversou mais com os atletas do que o Muricy em 8 meses. Além disso, o fato do time ter jogado melhor pode ter sido pelo fato das mudanças. Nos dois casos, a chegada de Antonio Carlos, seja pela vontade ou pelas mudanças, surtiu o efeito desejado. A ver.

Robert

Dia de ídolo. Dois gols em um clássico servem de motivo para se ganhar confiança: a própria, a da direção técnica e principalmente a da torcida. Não o considero craque, aliás, o acho mediano, um bom banco. Por isso, a diretoria ainda procura um atacante, que pode ser o argentino Farias atualmente no Porto. Ele está com 29 anos de idade e que foi vetado pelo ex-treinador.

Reforço 1

Chegou por aí um tal Ivo que jogava no Juventude. Ele tem 23 anos de idade. Não sei se é atleta contratado pelo Palmeiras ou pela Traffic, só espero que não seja mais um Jumar ou Sandro Silva da vida. Mas, esperemos, e não custa dar um voto de confiança ao rapaz, afinal de contas nem só de medalhões vive o futebol, e para quem agüentou quase dois anos para ver um cruzamento certo do Marquinhos, que aconteceu ontem no segundo gol…

Reforço 2

Parece que consertaram o aparelho de fax lá pelos lados do Palmeiras e a documentação de Ewerthon, ex-jogador gambá, mas filiado à maior organizada do maior rival, chegou. Espero que ele jogue bola por aqui, pois acredito que sua vida, pelo motivo exposto acima, não será nada fácil.

Reforço 3

O zagueiro Maurício Ramos já está treinando com bola; o mesmo acontecendo com o meia Lincoln. Ambos participaram de treinamento da equipe reserva. M. Ramos já deve estar no banco no jogo de quinta-feira pela Copa do Brasil contra o Flamengo/PI; enquanto que Lincoln deve aparecer contra o Rio Claro, pelo Campeonato Paulista, no próximo domingo na cidade que empresta o nome ao clube. Parece que foi só Muricy sair para as coisas começarem a aumentar de ritmo no Palmeiras.

Muricy

Não sei se a informação do Lance, sempre desconfie, de que Muricy ligou para dirigentes Bambis pedindo a vitória é verídica, mas se foi é lamentável. Mostra que o tal caráter do treinador é apenas uma peça de marketing. O que me leva a questionar o caráter do Senhor Cipullo, que ao final da partida resolveu ‘cutucar’ o ex-treinar, segundo disse a imprensa (essa com sonoras). Saber se comportar nas vitórias – e Cipullo ganhou a queda de braço com Muricy – é uma virtude para poucos.

Antonio Carlos

Teve seu nome gritado pela turma do amendoim, os mesmo que daqui a duas ou três derrotas estarão a criticá-lo. Eu, de minha parte, espero que faça um excelente trabalho, que leve o Verdão aos títulos, mas não esperem de mim condescendência com aquilo que ele protagonizou: um ato de racismo. Volto a repetir: a história do Palmeiras não comporta um racista dirigindo seu time de profissionais.

Chororô

Mais uma vez ELAS não perderam. Não foi a covardia, não foram os dois frangos da Borboleta Monarca, foi o juiz que impediu a vitória Bambi. Esse chororô nã acaba nunca.

Organizadas

Fica difícil defender se a cada clássico morrem um ou dois em emboscadas, com tiros, paus, barras de ferro, bombas… Depois, aparece o promotor desocupado defendendo o fim das organizadas e clássicos com uma só torcida, passando recibo de sua incompetência – diga-se, e babacas travestidos de jornalistas, corroborando com a idéia do “São Paulo Castilho” e vomitando “bandidos”, a torto e a direito, e ficamos nós por aqui sem ter o que falar. Assim é difícil.

Fora Cippulo!

Anúncios

Tags: ,

5 Respostas to “Palmeiras 2 x 0 Bambis – De bate Pronto”

  1. Renan (@escudoverde) Says:

    Add o Escudo Verde com Parceiro aí ;) .

  2. Mario Says:

    Eu abomino como vc,qualquer tipo de discriminação,seja de raça,cor,credo etc etc,mas vc tem que dar um desconto para o AC,no futebol dentro das 4 linhas não ouvimos nem percebemos, o que rola de xingamento e provocações entre os atletas, e as vezes uma provocação maior que não chega a nossos ouvidos,gera uma atitude preconceituosa no calor da partida.Se o AC fosse racista ele não teria como amigos intimos o Clebão e o Cesar Sampaio por exemplo,então devagar com o andor que o santo é de barro, e no campo o preconceito é usado como provocação e maneira de desestabilizar o adversário.

    Caro, Mário. Concordo com você que nõ campo de jogo as provocações são inúmeras, inclusive de cunho racista. Acontece que o ato do AC foi diferente. Ele fez aquilo de caso pensado e sabia o contexto de seu ato. Ele estava em Caxias do Sul, no campo do Juventude, local onde a torcida já teve várias atitudes racistas. Ele fez para trazer a torcida (também racista) para o seu lado, por isso o ato é mais abominável. Quanto ao fato de ter “amigos” negros não o isenta, pois veja os grupos neonazistas (nazistas), inclusive do Brasil, na maioria compostos por pobres, negros e nordestinos, discriminando os seus iguais em nome de uma ideologia tola. Eu, de minha parte, continuo com minha opinião, ele é sim racista e o Palmeiras não devia aceitar isso, principalmente por sua história de ser um time de uma colônia discriminada, mas, respeito sua opinião. Um abraço.

  3. Lucas José Says:

    caro ademir, o ato de racismo do nosso atual tecnico foi pago já, ele já foi punido e pagou, e na boa acredito que foium ao sem pensar no calor do jogo, pois um cara preconceituoso nao daria um abraço daquele no robert??

    Caro, existem coisas que o tempo e a pena não apagam. Racismo é uma delas, mas deixemos que ele trabalhe e mostre que realmente merece nosso respeito. Abraço.

  4. Viktor Says:

    “A história do Palmeiras não comporta racistas”. Esta frase, repetida várias vezes aqui, me causa estranheza quando em seguida me deparo com provocações de cunho homofóbico em relação aos torcedores do São Paulo. São discriminações diferentes, de fato, mas são discriminações. Talvez se possa dizer que o termo “bambi” seja uma mera provocação, sem ódio preconceituoso, mas será que se pensaria assim caso fosse usado o termo “macaco” para adjetivar um homem negro – caso que comportaria desculpa semelhante? Aliás, no Sul, os torcedores do Internacional, por, historicamente serem da classe social menos abastada – ou mais explorada -, são chamados de “macacos”. Fato que me parece deplorável e, talvez, com alguma semelhança ao uso do apelido “bambi”.
    Talvez, de fato, não haja ódio. Mas deixo o convite à reflexão. Talvez para que se julgue menos os outros, talvez para que se pese os preconceitos distintos, talvez para que nos julguemos antes de julgar o outro. Qualquer ato de intolerância, por menor que seja, contribui para a violência em nossos estádios, portanto é caso a ser pensado.

    Você tem razão em tudo que diz, inclusive quando diz que talvez bambi seja apenas uma provoção, como é, aliás, “porco”. Preconceituoso, talvez, seria reviver o carcamo e o italianinho, que são tratamentos pejorativos para se referir a uma coletividade e que foram muito usados para se referirem aos italianos que fundaram o Palmeiras. No caso do Internacional, o macaco tem sim cunho racista, pois se refere a uma torcida por sua condição social, de raça. O caso bambi, pelo que entendo – não sou o dono da verdade – já está é no folclore do futebol, nas provocações de botequim, nas brincadeiras entre amigos; o que não seria o caso – por exemplo – se eu fosse brincar com um colorado, lá no sul, e o chamsse de macaco. Me fiz entender?

  5. gardano Says:

    Realmente uma vez racista sempre racista não tem uotra maneira de analisarmos claro o Cara pediu perdão mas não tem volta .
    Por mais que o cara tenha amigos negros e abraçe uma atleta como o Robert no sub consciente dele com certeza em um momento de dificuldade ele deixou aflorar algo que ele pensa ou nutre como expectativa.
    Como técnico temos que apoia-lo mas como pessoa……..
    Se levarmos em consideração temos que apoia-lo como técnico mas observar também a atitude que teve como dirigente do Corinthians de ir a um prostibulo com os próprios jogadores do time e segundo terceiros ficar chaparral junto com os jogadores.
    Não que cada um não possa se chapar sja de bebida ou drogas mas não com jogadores e muito menos dar subsidio para imprensa principalmente sendo casado e pai de familia.
    Espero que pelo menos estas atitudes do Zago não se repitam no Palmeiras mas uma vez racista sempre racista concordo plenamente com tudo que o Ademir colocou

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: