Agora Tirone?!

Por conta desse evento aqui: Coisa de maluco resolvi republicar (pubicado originalmente em 22/02/2011), com novo título, o que eu já havia escrito sobre o tema.

A negociação das cotas de TV – aqui no Brasil – já passou. Estão, os dirigentes daqui, querendo ‘espanholizar’ nosso futebol. Os da Espanha tentam modificar e devolver a emoção e a competição ao seu campeonato.

Os dirigentes daqui, os colonizados e vira-latas, tentam nos usurpar o futebol…

Agora, senhor Tirone, vá chorar na cama que é quente!!!

Cotas de televisão – Republicado

Quando ouvimos vozes se levantarem contra o chamado futebol moderno, nós – os torcedores de arquibancada – entendemos muito bem do que se trata. Aqueles que apenas dizem gostar de futebol, na maioria das vezes, nos acham fora da realidade, atrasados… Utópicos.

Porém, o mercado – esse novo parâmetro de medida – que a tudo e a todos engole, paulatinamente, vem substituindo a competição, a emoção, o amor, por seu novo e único paradigma; a saber: o lucro. O esporte do povo, aquele que segundo o professor Marcos Alvito, ‘vendeu sua alma’, por aqui também – através de seus dirigentes – quer golpear de morte a seus torcedores.

Quanto se avizinha o tão sonhado dia da negociação das cotas de televisão, que pode dar aos clubes de futebol (a razão da paixão de milhares de brasileiro) a sua independência em relação a uma emissora que detinha a exclusividade nas transmissões, os submetia a sua grade de programação, e justamente pela exclusividade (monopólio), a valores menores, os dois maiores clubes do Brasil – em número de torcedores – apontam para um racha e querem negociar a sua parte (cota) em separado.

Se por detrás desse ‘racha’ temos algo além da divisão das cotas de TV saberemos mais adiante, mas nesse momento, é sobre a divisão das cotas que tratarei.

Futebol é, antes de tudo, um jogo onde a competição tem que se fazer presente. Destruir a competição é golpear de morte o futebol. O que querem Corinthians e Flamengo é, com a negociação em separado, um ‘privilégio’ que irá, a médio e longo prazo, aniquilar com a rivalidade, e, por conseguinte, com o futebol.

Na Europa, local onde nossos dirigentes sempre olham como o paradigma do futebol moderno, isso já vem ocorrendo, e isso muito se deve à forma como o dinheiro das cotas de televisão são negociadas e repartidas.

Tomemos como exemplo o campeonato espanhol, onde os direitos de transmissão são negociados separadamente.

Na Espanha, nos últimos quinze (15) anos, Real Madri e Barcelona se revezaram e ganharam o título nacional em onze (11) oportunidades. Méritos? Só se for o econômico. Para se ter uma idéia a dupla abocanha de direitos de transmissão três vezes mais que o segundo colocado em arrecadação, o Valência (€120 milhões x € 44 milhões). O Atlético de Bilbao e o Sevilha recebem € 20 milhões cada.

Podemos afirmar que isso gera uma distorção que faz com que a competição tenha um vício de origem. Ou seja, o poder econômico transformou a ‘liga das estrelas’ em um campeonato de apenas um jogo: Real e Barcelona.

Na Itália, por conta dessa mesma distorção, que faz com que Juventus, Milan e Internazionale se revezem na conquista de títulos, o Ministério dos Esportes estabeleceu que as negociações não mais podem ser individuais e criou regras claras para a distribuição dessas cotas de televisão, buscando equacionar o problema da falta de competitividade que estava aniquilando com o futebol.

Mesmo nos EUA, que temos como ótimos administradores do ‘negócio’ esporte, as distorções também acontecem. Observemos uma interessante diferença entre a liga de beisebol (MLB) e a do futebol americano (NFL).

Na liga de futebol (NFL), o mais rico esporte do mundo, as cotas de televisão são divididas de forma equânime entre todos os times, ou seja, são negociadas coletivamente. Isso faz com que mesmo times pequenos, de cidades pequenas, sempre estejam disputando em pé de igualdade com times de grandes centros e ganhando títulos. Porém, o mesmo não acontece com a liga de beisebol (MLB), onde as negociações são individuais, ou seja, na base do ‘cada um por si’, e que a cada ano vemos os mesmos chegarem às fases finais (Yankees, Cardinals, Red Sox…).

Dito isso, exemplos postos, podemos afirmar sem medo de errar que a divisão (racha) dos clubes brasileiros, criando a possibilidade de que cada um negocie individualmente as suas cotas de televisão, levará o futebol no Brasil a se transformar em algo muito próximo ao que acontece na Espanha, onde dois ou três clubes, ao monopolizarem a maior parte dos recursos do dinheiro das cotas de televisão, monopolizam também o ‘direito’ de vencer as competições.

Flamengo e Corinthians, através de seus dirigentes, tem todo o direito de buscar aquilo que consideram justo e mais lucrativo para os seus clubes. Porém, ambos devem saber que não tem o direito de jogar a história de seus clubes na lata do lixo, e justamente por serem os mais populares do Brasil, desprezar aquilo em que se fiam – os seus torcedores, as suas chamadas nações – para golpear o amor e a fidelidade a esses dois clubes, que são em última medida, baseadas na rivalidade que se alimenta da competição.

Que saibam Andrés Sanches e Patrícia Amorim que ambos estão dando um tiro de morte no já combalido futebol brasileiro. Saibam que estão dando um tiro de morte em seus próprios clubes, pois eles somente são grande devido à rivalidade. Saibam que estão dando um tiro de morte em seus próprios torcedores, pois sem competição e sem rivalidade chegará o dia em que não basta construir o campo, chegará o dia que mesmo sendo chamados eles não virão.

Em tempo: Além do exposto há também a preferência dos torcedores, que nunca são consultados. Em meu caso, e acho que falo por muitos também, torço muito para que a(s) emissora(s) que ganhe(m) os direitos de transmissão pensem nos torcedores e não nos submeta a horários ‘pornográficos’ devido a grades de programação jurássicas, espero que não fiquemos a mercê do fim de aberrações (novelas e BBB´s) esperando o início do jogo, pois no dia seguinte temos que trabalhar para ganharmos o dinheiro para o próximo ingresso.

Fonte: Manufaturando Consentimento e Major League Baseball

3 Respostas to “Agora Tirone?!”

  1. Vitor dos Reis Says:

    Concordo com todos os pontos que você colocou no texto com perfeição.
    Os clubes precisam fazer alguma coisa e rápido, antes que o nosso esporte vá para a lata de lixo, o Tirone abriu a boca para o Lance, e disse estar indignado com o que a maldita emissora fez com o Palmeiras, é muito pouco, mas já é alguma coisa.

    Abs,

  2. Sergio Says:

    Parabéns pelo belo texto e lucidez!!! Peço licença aos colegas palmeirenses e de outros esportes. Vou fazer um desabafo construtivo. Que fiquem a vontade pra criticar. Esse texto do blog do Ademir é extensivo a todos os esportes nesse Brasil, que, em geral, são tratados com descaso. Foi duro ver um Jardel Gregório ir pra olimpíadas sem patrocínio, e o reporte perguntar o que se podia esperar dele, que já detinha a melhor marca naquele ano! Ele disse, “dedico tudo que alcançar a minha esposa, ela sabe o que passamos pra eu estar aqui”. Antes de continuar quero fazer aos colegas um chamamento pra motivar o futebol e esportes femininos. Precisamos escrever sobre a conquista do espaço delas na TV, a na participação do bolo. sem isso não haverá espetáculo da liga feminina de futebol!!! Viva Marta, e essas heroínas do Brasil. Sou um apaixonado pelo esporte, quase todos os tipo, pratiquei e pratico muitos, e aprendo outros. No futebol alem do monopólio da mídia e de grandes clubes, ainda sofremos com a falta de times, com o lei do passe, um empresário retira seu jogador de um time quando bem entende, e deixa a torcida e o time a ver navios. Torcemos agora por slogans de times, pseudo times. Deveríamos pelo menos ter regras claras pra ter um time de fato do inici ao fim de um campeonato. Outro problema é o contrato exorbitante com algumas estrelas, claramente lavagem de dinheiro, e jogadores bons no banco de reservas comendo o pão que o diabo amassou! E por fim a falta de reforma nas regras do futebol. A falta que faz um juiz de mesa e p uso de imagem para verificar erros de juízes, assim como se faz hoje no volei, hoje uma referência nacional e mundial de organização, nível técnico, visibilidade, beleza na competição e nos lances. A introdução de um tempo técnico em cada tempo poderia descansar os jogadores, permitir rearmar o time pelo técnico. e por fim mexer na linha de impedimento, para próximo da pequena área. Isso aumentaria o numero de gols, finalizações e lances geniais. Outro fato é o excesso de competição, não há condicionamento físico que suporte. E o formato do campeonato brasileiro precisa mudar. è sem duvida o mais difícil do mundo. poderia. fazer misto, pontos corridos e dois turnos. ou algo assim, pra não ficar monótono e os times se dedicarem desde o início. A beleza do esporte está nas regras, na organização e no equilíbrio entre as forças, e sobretudo no respeito ao torcedor, o principal responsável pelo espetáculo. Imaginemos a situação do grande Usain Bolt , melhor velocista do mundo, competindo com corredores que fazem marcas de 11 seg! A fórmula um também virou um campeonato de construtores e disputa tecnológica entre fabricantes de automóveis. Os pilotos são meros fantoches e refém, o espectador um bobo enganado pela mídia, pois não há mais esporte ali, o show acabou. que saudade da briga entre Sena e Alain Prost, Mansell, Villeneuve, Piquet. Abrs

  3. Gabriel Casaqui Says:

    Palestrinos,

    Nosso blog promove a seção “Análise de Elenco” e hoje a bola da vez é o Verdão.

    Convidamos todos a acompanharem e deixarem seu registro sobre a equipe.

    Sua opinião é muito importante para nós e esperamos promover um bom debate.

    Abraços.
    Gabriel Casaqui
    http://obotecoesportivo.blogspot.com.br/2012/04/analise-de-elenco-palmeiras.html
    @botecoesportivo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: