Posts Tagged ‘Blogueiros’

O pesadelo do “ano que vem”!

18/03/2013
Por: Vinicius Borghese (@viniborghese)
Recuso-me a escrever qualquer coisa sobre o jogo, o time ou o treinador. Apenas lembrar que cobraram R$ 80 o ingresso para a torcida visitante em um dos piores estádios que existe e nossa Diretoria nada fez a respeito… segue o jogo…O que me motiva a escrever são 15 milhões de torcedores da SEP.

Somos poucos os envolvidos no clube politicamente ou que tem contatos para saber a REAL situação financeira do clube, os demais torcedores buscam informações na imprensa em geral. O que se lê é o mesmo conteúdo em palavras diferente:

A SEP NAO TEM DINHEIRO, vamos conter despesas, montar um time dentro das possibilidades e no ano seguinte… aliás este termo “ano seguinte” é o pesadelo de todo Palestrino. É a certeza de que mais um ano irá passar e nada vai acontecer.

Assistimos calado ás primeiras decisões da Diretoria, demissões, empréstimo de jogadores e a venda do ex-camisa 9. A venda do ex-9, seria um ótimo negocio desde que fosse concluído como o prometido, vai ele, vem cinco, caso o 5º não venha uma bela quantia em dinheiro e parte do passe do ex-9… não veio outro 9, nem dinheiro e não se fala mais no assunto. O resultado assistimos ontem, o ZAGUEIRO cobrando pênalti.

A política do “bom e barato” parece só funcionar para o Palmeiras, vemos clubes falidos contratarem jogadores de nível e a SEP sempre no “ano seguinte…”.

Quem vive o dia a dia do clube pode até entender e assimilar atitudes e contratações, mas somos muito maiores que isso, somos 15 milhões que não ligam para a dívida, para a obra, para o déficit do tênis, basquete ou qualquer outro esporte amador.

Somos 15 milhões que queremos um time descente, atitudes descentes, e o RESPEITO de volta!

RESPEITO com o torcedor que comparece todo jogo, organizado ou não, sendo o jogo em casa ou não. O TORCEDOR é seu MAIOR PATRIMONIO, não crie mais brigas ou intrigas:

COLOQUE UM TIME Á ALTURA DA SEP EM CAMPO!

A ficha da serie B ainda não caiu, não saiu à tabela, estamos disputando todos os campeonatos, quando só nos restar este time medíocre e a serie B… ah é verdade….”ano seguinte….”.

Nostra Forza!

PALMEIRAS: UM FENÔMENO NO RIO

21/03/2012

Via: Buteco do Edu, do amigo @edugoldenberg

Há tempos que estou para escrever sobre o assunto que hoje me traz aqui, ao balcão. Há tempos. É testemunha disso meu irmão paulista, o fabuloso homem da barba amazônica, Fernando José Szegeri. Eu já comentei com ele, algumas vezes, em diversas oportunidades, sobre esse troço que, quero confessar, não compreendo bem. Talvez saibam dar uma explicação para o fenômeno os estudiosos do assunto, como Luiz Antonio Simas, como Bruno Ribeiro, como o próprio Fernando José Szegeri (notem que escrevi, sem qualquer peso na consciência, o nome completo desses três grandes brasileiros, amantes do futebol). Como o Ivan Soter, que não me lê mas que poderia ser provocado por um de meus poucos mas fiéis leitores (assim quero crer), Rodrigo Ferrari, o Folha Seca, que tem acesso ao Ivan como um padre à sacristia. Dito isso, em frente.

Sei que a afirmação que farei (e que é fruto de uma observação diária e que já dura anos!) incomodará a alguns de meus leitores de São Paulo. Consigo ouvir daqui os protestos dos corinthianos ClaudioFavelaJulio Vellozo eLeonor Macedo (em ordem alfabética para não ferir suscetibilidades), consigo ouvir os são-paulinos Dado e José Szegeri (pai do homem da barba amazônica) bradando contra mim, consigo ouvir a chiadeira do Gordo, santista desde criança – não dá pra citar todo mundo, pô!. Consigo, mesmo, saber que vou criar polêmica – mas o que vou lhes contar, meus poucos mas fiéis leitores, é a mais pura expressão da verdade.

Antes, pausa: terminei esse parágrafo e uma dúvida me acomete… Será mesmo, o Favela, torcedor do Corinthians? O Favela é tão apaixonado pelo futebol de várzea que, pra mim, e dentro de mim, ele é Anhangüera, apenas Anhangüera.

Todos os dias – eu disse TODOS, com a ênfase szegeriana – eu esbarro com pelo menos uma pessoa envergando, orgulhosa, a camisa do Palmeiras. E eu disse “pelo menos uma” porque às vezes – estou sendo preciso do início ao fim – eu esbarro com duas, três, quatro, cinco camisas do Palmeiras, no mesmo dia, em horários e locais diferentes.

Ontem, por exemplo, estava eu almoçando no local de sempre, numa modesta galeria comercial em Laranjeiras, quando sentou-se diante de mim um sujeito com uma camisa do Palmeiras, antiga, da Adidas, com patrocínio da Coca-Cola, um clássico! Eu estava justamente terminando de almoçar. Levantei-me, fingi que estava fazendo uma ligação e – clique! – fotografei a camisa do caboclo. Fotografia feita, vali-me das tecnologias que mal-domino e mandei o flagrante para o homem da barba amazônica (foto abaixo).

camisa do Palmeiras no Rio de Janeiro, fotografia de Eduardo Goldenberg, pelo celular

Em segundos, estrilou meu celular. Eu, com o humor preparado pelo BINA, fui eufórico:

– Fala, mano!

E ele, pela primeira vez eufórico em muitos anos:

– Escreva sobre isso! Escreva sobre isso! É chegada a hora!

Eu ia começar a responder quando ele continuou:

– Antes que eu me esqueça…

– Diga.

– Sabe se aquele cara, o Rodrigo, já emoldurou meu autógrafo?

– Não…

Ouvi uma fungada – algo como um princíprio de chôro ou mesmo um simples muxôxo – e ele continuou:

– Voltando ao assunto…

– Diga.

– Escreva, Edu! Quando eu conto ninguém acredita!

E eu, prometendo a ele que o faria, disse:

– O.K.! Pode deixar. Amanhã mesmo!

Despedimo-nos efusivamente e eis-me aqui cumprindo minha palavra (eu cumpro a palavra que empenho).

Eis o que eu queria lhes dizer sobre o Palmeiras…

No Rio de Janeiro, por razões óbvias, é fácil dar de cara com camisas do Flamengo, do Vasco, do Fluminense, do Botafogo, do América.

Mas por que razão – esta a pergunta que faço com as mãos espalmadas pedindo ajuda – a camisa do Palmeiras é onipresente na cidade do Rio?!

Aqui na Tijuca – vão tomando nota, leitores palestrinos!!!!! – o troço chega a ser vergonhoso. Não é só o Imperador, garçom do falecido RIO-BRASÍLIA, vejam aqui, que exibe, orgulhoso, a camisa do Palmeiras. Vira-e-mexe, na Tijuca, surge o alviverde imponente – e eu quase sempre disco pro Szegeri:

– Mais uma!

– É impressionante!

E ele gargalha de lá, cofiando a barba (ouço o farfalhar de sua densa barba negra).

Quando o Palmeiras joga, então, você tem a impressão, em plena Tijuca, de que está caminhando pela rua Turiassu ou descendo, animadamente, a avenida Francisco Matarazzo.

Dia desses, inclusive, eu estava dentro do 239, voltando pra casa. Era dia de jogo do Palmeiras (não me lembro qual, nem à fórceps). O ônibus parou no sinal (no farol, palestrinos), na esquina da Frei Caneca com a Marquês de Pombal, onde há um buteco de primeira, vagabundo, como devem ser os grandes butecos. E do teto do bar – creiam! – pendia uma enorme, uma gigantesca, uma impressionante bandeira do Palmeiras. Diante do balcão da espelunca, uns dez, doze, sei-lá-quantos homens vestidos a caráter bebiam e faziam algazarra, como se estivessem devastando sanduíches de pernil com cerveja numa das kombis da Turiassu e prestes a entrar no estádio. Liguei, evidentemente, pro homem da barba amazônica. Ele, gemendo:

– Mentira, Edu…

– Juro! – e fiz o som dos dois beijinhos com os indicadores em cruz, apoiando o celular entre o ombro e a orelha esquerda.

– Quando eu for ao Rio quero conhecer esse buteco!

E é assim, meus poucos mas fiéis leitores. Desconheço a razão desse fenômeno. Pois é, de fato, um fenômeno.

(agora mesmo é que serei vaiado pelos paulistas não-palestrinos)

Muito raramente – muito, muito mesmo! – encontro alguém com a camisa do Corinthians (no reveillón e no Carnaval, com a cidade invadida por turistas, vê-se mais). Guarani, Santos, Portuguesa, Ponte Preta, São Caetano, Bragantino – encontrar uma dessas é quase que impossível, mas vê-se, uma na vida e outra na morte.

O que eu NUNCA vi (com a ênfase szegeriana) – NUNCA!!!!! – foi uma camisa do São Paulo.

Campeão não sei quantas vezes, campeão disso, campeão daquilo, a camisa do São Paulo NUNCA – e digo isso com 100% de certeza – foi vista por essas plagas.

Com vocês, por favor, a palavra.

Até.

Link original:  PALMEIRAS: UM FENÔMENO NO RIO

O Palmeiras acima de tudo!

11/05/2011

Texto publicado originalmente no Forza Palestra, do Barneschi.

O Palmeiras acima de tudo!

Posso ser acusado de muitas coisas, menos de não emitir e defender as minhas opiniões. Este blog é radical o tanto quanto é possível ser, e continuará assim. Agradeço a cada um de vocês, leitores tão devotados e participativos, pela audiência qualificada de sempre e pela paciência de alguns momentos. Preciso agora fazer algumas ponderações, considerando um pouco do que eu já iria escrever naturalmente e outro tanto de questões que foram colocadas no post anterior. Vamos lá:

Eu sou Mancha. Não é de agora. Sou sócio desde moleque, entendo que a Mancha (e todas as outras organizadas) são essenciais para o futebol resistir e vou defender a entidade até onde for possível. Contra tudo e contra todos. Menos contra o Palmeiras. Porque o Palmeiras está acima de tudo!

Já foram muitos os manifestos publicados pela MV e mesmo os protestos (violentos ou não) com os quais eu não concordei de uma forma ou de outra. Há pensamentos divergentes, mas o respeito sempre prevaleceu. E, de certo modo, posso afirmar que me senti representado em quase todas as situações, do enterro simbólico da diretoria em 2001 até a agressão contra o Madureira, para ficarmos em alguns exemplos.

Não é o caso agora.

Eu me permito simplesmente ignorar a primeira carta publicada no site oficial, uma vez que ela foi escrita em primeira pessoa e, portanto, não pode ser compreendida como o posicionamento oficial de uma entidade que representa tanta gente. Simplesmente não pode, e eu não vou entrar no mérito de tudo o que foi escrito ali; é a posição de alguém que divide comigo a mesma arquibancada e com quem já devo ter conversado algumas vezes, e vale tanto quanto a minha. Discordo veementemente de quase tudo o que está ali, respeito o direito à opinião alheia, mas não reconheço aquela como sendo a palavra oficial da entidade Mancha Verde.

Chegamos então à campanha “Público Zero”. Eu não aceito isso! Lugar de torcedor é na arquibancada e é para lá que eu vou. Respeito o direito de quem não vai, mas eu farei a minha parte na arquibancada (já foi assim no Couto Pereira, e será assim também no Pacaembu). Não me importa o fato de o time já estar eliminado. Não me importa o horário absurdo, o frio, até a chuva que pode cair. Não importa. A camisa do Palmeiras vai a campo, e eu vou junto.

À cancha municipal!

Convocando os Palestrinos para…

18/08/2010

Copa Sulamericana

Na quinta-feira (19/08) nosso glorioso Palmeiras tem mais uma batalha épica a travar contra tudo e contra todos. Jogaremos nossa sobrevivência na Copa Sulamericana e nossa torcida – mesmo com o placar adverso, em horário pornográfico (21h50), com frio, quiçá chuva – tem que fazer sua parte. Temos que nos fazer presentes, incentivar, empurrar o time e arrancar, mesmo que a fórceps, nossa classificação.

O adversário é um daqueles times que aparecem de tempos em tempos em nossa vida, querem fazer seu nome às custas da história gloriosa do Palmeiras, são invariavelmente despachados para o seu devido lugar, para no ano seguinte disputar um campeonato menor no cenário nacional (vide As Putinhas do Nordeste ano passado), mas precisamos fazer valer nossa força de nossa camisa e de nossa torcida, para isso é importante a nossa presença. Vale lembrar que o Pacaembu, que ainda não caiu no gosto de parte de nossa torcida, é um palco onde conquistamos muitas vitórias e inúmeros títulos; além disso, com a reforma de nosso glorioso estádio é lá que por dois anos mandaremos nossas principais partidas. Sendo assim, não há desculpa para não lotarmos o Pacaembu na quinta-feira.

Até nosso treinador, aquele que tanto queríamos comandando nossa esquadra, já fez o seu apelo. Então, vamos ou não responder ao chamado?

Jogo das Barricas – 3ª. Edição

Para economizar tempo, vai o link da chamada e as instruções para os Palestrinos que querem reparar o erro histórico de termos um dia ajudado, através de esmola, a sobrevivência de uma nefasta instituição.

III Jogo das Barricas

A reparação histórica

2010

Além disso, enfrentaremos nossos maiores rivais em uma partida de futebol, teremos churrasco, cerveja, poker; e é valendo taça.

Tsunami Verde

Eis o link da página do Tsunami Verde/2010, evento que ocorre já há alguns anos que serve para celebrarmos nossa Palestrinidade. Participem, e no dia 26 vamos colorir o mundo de verde e branco. Parabéns Palmeiras.

Página odicial do Tsunami Verde/2010

Festa de Aniversário não-oficial do Palmeiras

Tomo a liberdade de reproduzir o e-mail do amigo e Palestrino de primeiro time, Felipe Giocondo, um dos organizadores da Festa de Aniversário não-oficial do Palmeiras, que é o ponto alto das comemorações do aniversário de nosso glorioso Palestra, dando as coordenadas e convidando a nós, os torcedores – maiores responsáveis por manter a mística Palestrina viva, para comemorarmos mais o aniversário de nosso amado Palmeiras. Vai ter música, comida, bebida, transmissão do jogo do Palmeiras… Enfim, lá estaremos para comemorar a data, contar histórias das arquibancadas e, quem sabe, nos encontrarmos com algum ídolo do passado. Eis o e-mail do Giocondo:

Amigos,

Assim como fizemos no ano passado, estamos organizando a Festa de Aniversário não-oficial do Palmeiras. Os que tiveram a oportunidade de estar presente em 2009, no ‘Bar Boleiros’, se lembram que foi um evento carregado de muita Palestrinidade, música e boas vibrações.

A idéia deste ano é similar, mas em uma escala maior. Além da tradicional roda de samba (a confirmar o grupo), teremos a transmissão do jogo do Palmeiras no telão (Palmeiras X Galo, em MG), em um lugar mais amplo e, esperamos, com mais torcedores. Ano passado chegamos perto dos 200, este ano o local comporta 400 com conforto.

Estamos convidando ex-jogadores para participar novamente. No ano passado tivemos a presença de Cesar Maluco e do ex-goleiro Gilmar. Mas como as presenças nunca são 100% garantidas, optamos por não divulgar ainda. O importante é que todo Palmeirense se sinta a vontade, em um ambiente familiar e possa compartilhar com os amigos a emoção da data, e eventualmente reencontrar grandes ídolos.

Feita as devidas apresentações do evento, fica aqui o convite para que compareçam e divulguem aos amigos também. Pedimos apenas que confirme a ida no e-mail palmeiras96anos@yahoo.com.br. Queremos ter algum controle sobre o número de convidados previstos.

A festa será dia 29/08, com entrada a R$ 15. Aos que quiserem e puderem divulgar em seus blogs/sites, fica desde já o agradecimento pela colaboração. Como é um evento não-comercial, dependemos do boca a boca para divulgação. A ‘Ponto Verde’ está nos apoiando, assim como no ano passado com sorteio de produtos do Palmeiras etc, e qualquer outro auxilio para engrandecer a festa é muito bem vindo.

Confiram no link o vídeo do ano passado: http://www.youtube.com/watch?v=k3jyDo00ASc

Obrigado a todos e contamos com sua presença. A organização é de um grupo de amigos sócios do clube.

Convite

Clique na imagem para vê-la em tamanho original

Bem, vamos fazer a nossa parte. Seja para levarmos o Palmeiras à próxima fase da Copa Sulamericana; bem como, para mostrarmos ao mundo o nosso amor pelo Palmeiras.

Estão todos convocados.

Forza Palestra!!!


Jogo das Barricas – 3ª edição

29/07/2010

Em 2008, meia dúzia de radicais, intolerantes e irracionais corinthianos e Palmeirenses que viviam trocando suas farpas por blogues, e-mails e que tais – ainda não havia se disseminado o Twitter – resolveram consertar o ato mais irresponsável das diretorias de corinthians e Palmeiras de sua história. Um dos gaiatos teve a idéia de jerico e o restante não só concordou como ajudou a viabilizar aquilo que viríamos chamar de Jogo das Barricas – a reparação histórica.

Quem ainda não entendeu nada, deve obrigatoriamente visitar o Cruz de Savóia para ter noção exata do que foi a “Taça Augusto Mundell”, eternizada e popularizada nos registros futebolísticos como o Jogo das Barricas a que nos referimos. Tal alcunha foi dada graças às esmolas arrecadadas pelas duas grandes equipes paulistanas, mais a Lusa, em benefício do time de Jd. Leonor, numa atitude que nos custou caro pouco tempo depois, com a intervenção na presidência do corinthians e a mudança do Palestra para Palmeiras – a própria Portuguesa foi vítima de um dos rolos tricolores, comprando o Canindé depois que ele foi tungado pela escumalha dos alemães.

Pois é contra essas e diversas outras aberrações da história sombria do time de madame que queremos não só denunciar, mas também prestar tributo a todos os nossos guerreiros antepassados. Mais ainda, eis a prova de que corinthianos e Palmeirenses (e agora consta que teremos a participação de uma esquadra lusa) conseguem conviver em clima fraterno quando o que está em pauta não é a disputa do maior clássico do mundo.

Assim, a 3ª Edição do Jogo das Barricas será realizada no próximo dia 21 de agosto, um sábado, a partir das 15h. Conseguimos, desta feita, fazer com que o evento aconteça na gloriosa várzea paulistana, local de gestação daquele futebol que todos aprendemos a amar, o futebol do povo. Voltar à várzea, aliás, ganha mais significado porque é um protesto contra a modernidade assassina, tão peculiar daquele clube que temos o prazer de combater.

Pedimos, então, a colaboração de R$20 dos interessados para custear o aluguel do campo e o churrasco que será feito durante e depois da partida. A cerveja e demais bebidas não estão inclusas, mas poderão ser adquiridas a preços honestos no bar da agremiação que irá nos receber. Infelizmente, não podemos divulgar abertamente o local do jogo por questões óbvias. As informações só serão enviadas para quem se identificar via e-mail (cramone99@gmail.com ou cruzdesavoia@gmail.com) e garantir presença. Posteriormente, iremos divulgar uma conta corrente para receber os depósitos. A prestação de contas será cristalina e, caso haja sobra, ela entrará no rateio das Brahmas.

Aos corinthianos e Palmeirenses, reforço que essa edição será a “nega”, já que os alvinegros levaram a primeira e os Alviverdes faturaram a segunda. Quanto aos uniformes, vale a sugestão de levar tanto o primeiro quanto o segundo fardamento, para que os presentes decidam no voto qual das camisas deve entrar no gramado.

Recado final: leve suas moedinhas! Afinal de contas, madame está descontrolada também nos cofres e a intenção é despejar uma barrica cheia níqueis na porta do Morumbi. Contamos com a presença!

Jogo das Barricas – 3º edição
Data: 21 de agosto – às 15h (pontualmente)
Preço: R$20 (aluguel do campo e churrasco)
Inscrições e informações: cramone99@gmail.com / cruzdesavoia@gmail.com

Em tempo: O troféu para a equipe vencedora do certame é ofertado, como de praxe – tradição, por esse blogue.

Dunga, a Globo e a Copa de 94

24/06/2010

Via: Forza Palestra.

A Folha de S.Paulo de hoje oferece bons subsídios para um novo post na mesma linha do anterior. Vejamos, ponto a ponto:

O jornal, que nunca escondeu o seu ressentimento com as atitudes e declarações do técnico da seleção brasileira, estampa na capa do caderno de esportes o seguinte enunciado: “Com seu estilo truculento, suas convicções e manias, Dunga doutrina a seleção sem ser contestado por jogadores e comissão técnica”. Isso, na visão da FSP, tem até nome: dunguismo. Aí o jornal procura justificar essa premissa, e é até bem-sucedido. Ok; o ranço dos jornalistas da Folha contra Dunga é notório e eu sinceramente não vou contestar o direito deles de manifestarem isso e criarem suas próprias teorias.

Na mesma página, o jornal publica os “Dez Mandamentos do dunguismo”. Como o conteúdo é fechado e considerando que essa tabela nem apareceu na versão online, publico logo abaixo para apreciação dos leitores.

Meu veredicto: exceção feita ao 6, aí colocado com indisfarçável dose de ironia e maldade, eu concordo com todos os demais mandamentos. Destaques para o 2 (“Nada de privilégios à Rede Globo”), ao 5 (“A imprensa é sempre inimiga”) e ao 10 (“Mais importante é ganhar, não jogar bonito”).

Vejamos que, na mesma página D3 em que foi publicada a tabela, a Folha traz uma outra matéria, com o título “Técnico testa Júlio Batista e Daniel Alves”. Um breve trecho é o que importa: “A Folha acompanhou parte do treinamento secreto do alto de um prédio próximo à faculdade Saint Stithians, em Johannesburgo.” Malandrinhos os enviados especiais, não? Entenderam o “mandamento 5”?

Mais importante, no entanto, é o mandamento 10. Na mesma página D3, Paulo Vinicius Coelho manda bem (ou quase isso) na sua coluna de hoje. O título? “Não era Dunga”. O colunista procura desmistificar a imagem de Dunga como um jogador tosco e repara uma incorreção histórica ao dizer que “A opinião pública não questionava sua presença, em 1990. Dunga merecia ser titular.
Quando seu relógio marcar 13h36, portanto, uma injustiça histórica completará 20 anos. Nessas duas décadas, Dunga se livrou do rótulo colado em sua testa no Mundial da Itália. Os livros de história não revelam um brucutu. Neles está a imagem do capitão do tetra, levantando a taça, como líder da seleção brasileira.”

É bem por aí: nego passou esse tempo todo falando mal do cara, criou uma era supostamente negativa com o seu nome e agora vem se sentir injustiçado com os maus tratos e com a falta de educação dele? Quer dizer que nego pode avacalhar, xingar, estigmatizar e depois não aceita a postura combativa (e essencialmente pragmática) do treinador da seleção? É realmente de foder!

Do bom texto de PVC, me permito extrair um parágrafo extremamente significativo: “Difícil dizer se o ressentimento de Dunga tem mais a ver com o fato de ter virado símbolo da derrota de 90 ou com o Brasil jamais ter aceitado a vitória de 1994. Se tem a ver com a inócua discussão sobre a preferência nacional ser por vitórias como a de 1994 ou derrotas como a de 1982.”

Para matar a questão de uma vez por todas: eu não sei vocês ou o resto dos brasileiros, mas eu aceito sem qualquer ressalva a vitória de 1994. Foi uma vitória belíssima, de uma seleção exemplar, que protagonizou algumas partidas notáveis (a vitória sobre os EUA, na casa deles e com um a menos, os 3 a 2 sobre a Holanda, o sofrido 1 a 0 contra a Suécia, mesmo os 3 a 0 sobre Camarões).

Foi uma grande Copa, uma grande seleção, um grande momento do futebol brasileiro. Foi uma seleção que, depois de 24 anos de derrotas, fez o que precisava fazer. Foi em busca de um objetivo, entendeu que o futebol não é essa viadagem idealizada por Armandos Nogueiras da vida, mostrou fidelidade a uma concepção tática, alcançou as vitórias que precisava passo a passo. Fez sete jogos, ganhou cinco, empatou contra uma complicada Suécia (1 a 1, belo gol de Romário) e depois na final contra a Italia. Marcou 11 gols e tomou apenas 3.

(A própria Copa de 94 é uma injustiçada. Foi uma Copa com final disputada por dois gigantes em uma decisão de tricampeões. Uma Copa de grandes jogos, de grandes feitos, de alguns belos times. Uma Copa de uma Bulgária em fase unicamente brilhante, de uma Romênia de Hagi, de uma Suécia com um folclórico Ravelli no gol e de um belo time. Uma Copa de um Maradona injustiçado, de belos gols, de estádios enormes, de um país que precisava ser conquistado pelo futebol. Foi a Copa de Romário, o maior craque daquele década.)

Podem chamar de “Futebol pragmático”, “Futebol de resultados” ou como bem entenderem. Eu chamo de “Futebol vencedor”. Ao contrário de outras decantadas seleções de Copas anteriores, a de 1994 venceu. E convenceu. Fez o que dela se esperava, e o futebol é acima de tudo uma competição que adquire um caráter bélico a depender da visão de cada um. Querem espetáculo? Pois que façam bom proveito do circo, do teatro ou de qualquer dessas artes. O futebol não é nada disso.

Assim, ao contrário do que afirma PVC, eu aceito a seleção de 1994. Aceito a vitória (de um tempo onde eu ainda torcia pelo Brasil), o time, Dunga, Romário, Parreira, até o Bebeto. Aceito aquela conquista, cada gol, cada jogo, cada vitória, cada passo rumo a um título que as poéticas seleções anteriores deixaram escapar em meio às aspirações fantasiosas de um futebol como espetáculo.

Se Dunga é um símbolo da vitória de 1994, eu estou com ele. Mesmo sem torcer por esta seleção atual, me coloco ao lado do treinador da seleção nessa batalha contra a Globo e contra toda a ala reacionária e hipócrita da nossa imprensa esportiva. Porrada neles, Dunga!

***
Em tempo: a Folha de hoje é ao menos transparente ao trazer a seguinte notícia: “Fãs de Dunga realizam campanha pelo treinador”. Eu não chamaria esse povo todo de “fãs de Dunga”. São muito mais as pessoas que, como eu, abominam a emissora câncer. Todos os que estiverem contra a Rede Globo têm o meu apoio incondicional, amplo e irrestrito. PORRADA NELES, DUNGA!

_____________________

Comentário que fiz lá no Forza Palestra sobre o texto acima: Irretocável em todas as letras, vírgulas e parágrafos. Além disso, a tal seleção do espetáculo, aquela perdedora de 82, não era tudo isso que falam, e no fim perdeu para uma Itália, que se fez uma primeira fase mediana (à la Itália, eu diria), cresceu nas outras fases e derrotou o Brasil, mostrando mais conjunto, mais equilíbrio, tal qual a nossa (sim, eu reconheço a vitória, e a comemorei, em 94) na vitória nos EEAA. Com as devidas vênias este texto será reproduzido, ná íntegra, lá no Divino. Abraço.

Desabafos

07/05/2010

Ontem, um dia após mais um episódio que mostra que estamos trilhando um caminho sustentável (já que é a palavra da moda) rumo a nos transformarmos na Lusa das Perdizes, fruto de uma diretoria fraca e composta de Homens que não representam a grandeza daqueles que nos fundaram, vários Palestrinos fizeram seus desabafos em suas páginas pessoais. Alguns exaltados, outros apontando suas saídas para o atual estado de coisas, mas todos – sem exceção – mostrando seu descontentamento.

Eu, por aqui, pedi uma renúncia coletiva – um harakiri – que inclusive ganhou as hastags do twitter: #renunciacoletiva.

O vexame foi tão grande, e a dor diretamente proporcional, que ainda hoje a eliminação (gota d’água) para o CAG continua a repercutir.

Vejamos o que outros Palestrinos escreveram em seus desabafos após mais esse vexame:

Palmeiras… Sem comando, sem alma, sem paz…Blog da Clorofila

O dia depois de amanhãCruz de Savóia

O Palmeiras acabou. A Traffic informaCruz de Savóia

Bando de FDP, mercenários e sem caráterDal 1914 Palestra Per Semper

Crônica De Uma Morte AnunciadaExpatriated.

Não vai sobrar nadaForza Palestra, futebol com alma.

O dia que o Palmeiras se apequenouOstentando a sua fibra

Como ganhar inimigos ou DesmistificandoPalestra Imortal

Quem você foi na vida passada? – Scoppia Che la Vittoria è Nostra

Juntando os cacos3VV, Terceira Via Verdão

O buraco é mais embaixoVerdazzo

Mais uma vez…Verdedosverdes

E hoje, mais de 24 horas após o fiasco, estamos ainda aguardando atitudes da diretoria para nos recolocar no rumo da grandeza. Mas, como sempre acontece no Palmeiras as coisas são lentas, pois a ganância, o privado e a covardia daqueles que nos dirigem são a tônica das mudanças.

O problema é que além da lentidão, as mudanças – à La Pink e Cérebro – sempre envolvem planos mirabolantes que nos prometem a dominação do mundo, mas que como resultado sempre nos diminuem; esses ‘planos mirabolantes’ nos diminuem não só frente aos grandes, mas nos rebaixam e nos aproximam, diuturnamente, aos minúsculos. E assim, dia-a-dia, nos transformamos na Lusa das Perdizes, e tomara que seja na Lusa e não no Juventus, no América/RJ, no Sport…

Pobre Palmeiras, pobre torcedor Palmeirense!

Renúncia coletiva, já!

No UC dos juquinhas, mas bem no meio

23/04/2010

Bem, meus caros. Não é qualquer apagão que atinja nossa sucursal do Bexiga – sim, também temos uma sede nesse bairro -, mesmo que esse dure mais que 5 horas, que nos deterá.

Saibam que já estamos investigando essa tentativa de nos calar. Preliminarmente já sabemos que se tratou de uma iniciativa dos arautos da moralidade, defensores da família, da propriedade e dos bons costumes, capitaneados por um candidato à Presidência da República, uma ex-empresa pública que foi vendida para o ma-ra-vi-lho-so setor privado (A ELETROPAULO) e um ex-motoboy que nos boicotaram.

Isso mesmo, mais de 5 horas de apagão! E olhem que nem era o dia da terra, nem o #DiaDoFIOterra, para que se apagassem as luzes. Mas, como somos persistentes, mesmo com o atraso, eis a nossa sucursal participando de mais um NO UC DOS JUQUINHAS.

No UC dos Juquinhas Broadcasting News – Third Edition

Personal Stylist é a mais nova habilidade do Querelado Escriba: ele não vai mais aos estádios – não sabemos se as credenciais do MSM foram caçadas ou se perderam as validades… sabemos sim que, de casa, no conforto do cafofo da Cincinato, o discente de jornalismo mais crível do espaço cibernético acompanha pela TV de plasma último tipo os jogos, mas especialmente em um deles abusou do Zoom para conferir de perto as curvinhas de R100, o centroavante de peso do time do Curíntia! Após assistir a peleja consultou sua fiel fonte de informações para ilustrar o resumo da partida – conforme poderão visualizar na imagem abaixo. Toco no Cráudio e em mim:

.

http://www.midiasemmedia.com.br/paulinho/?p=1022#respond

Claudio disse: O seu comentário está aguardando moderação.

8 de abril de 2010 às 11:15

Um jogo importante desse e você, além de não ter ido ao estádio como qualquer corinthiano que se preze, ainda ficou reparando em macho de cinta? Pior, quer reinventar a roda, “denunciando” que um gordo está gordo?

Tu é meio esquisito, rapaz…

Carlinhos-Botucatu-SP disse: O seu comentário está aguardando moderação.

8 de abril de 2010 às 14:08

Querelado Escriba,

O R100 tá gordinho faz tempo, não?

Quer dizer que o “shape” rotundo do Fenômeno lhe chama mais atenção que o jogo em si, outrossim, sua fonte – o google – anda trabalhando bastante, pegou a primeira imagem dos resultados, da próxima vez, tente ao menos capturar a imagem da TV, ficaria mais ilustrativo.
Pobre jornalismo esportivo.

Forte abraço

Querelado reverbera a opinião de Juca Kfouri, seu mestre e senhor: o Paulistão não vale nada, é um lixo! Deve ser taxado como Paulistinha, mas o Carioca não é Carioquinha, o Mineiro não é Mineirinho nem o Gaúcho, Gauchinho. Vá entender essa lógica, ou melhor, até entende-se, caso algum cartola da turminha do “bem” assumisse a FPF o campeonato seria “Paulistãozão”! E por conta da eliminação do Curíntia do “paulistinha”, Querelado aproveitou uma coletiva do R100 para vir com a ladainha de sempre contra seus desafetos do Timão; toco no Cráudio que lembrou-o que o ídolo do TCE foi Bi-eliminado da Libertadores:

http://www.midiasemmedia.com.br/paulinho/?p=1038#comments

Claudio disse: O seu comentário está aguardando moderação.

9 de abril de 2010 às 13:03

Podiam chamar o Citadini, cujo planejamento na vice-presidência de futebol nos rendeu duas eliminações na Libertadores.

As habilidades de 1nh0 não param de surgir: Querelado também é catedrático em ética médica, esmiuçou o novo código de ética e lascou seu pitaco sobre ele. Queria nosso Escriba que o mesmo fosse aplicado aos jornalistas éticos tal qual si próprio, algo como: um médico ter dois CRM´s, evidente!

Cráudio, implacável como sempre, mandou ver e levou toco!

http://www.midiasemmedia.com.br/paulinho/?p=1118#comments

Claudio disse: O seu comentário está aguardando moderação.

12 de abril de 2010 às 15:53

Bom mesmo é receber “donates” ou ser bancado pelo dinheiro da Camargo Corrêa, né?

André Sanche” sofre nas mãos do Querelado Escriba… através de todo o conhecimento adquirido junto ao faz de tudo Lucas Jim (onde andará Lucas Jim? Alguém sabe?), editou “mal e porcamente” um vídeo onde insinua que o presidente do Curíntia estaria dando um tapa num “cigarro di páia” lá nas bandas de Montevideu. O Besouro Verde não tomou toco (parece que o 1nh0 é chegado num besourão) e ainda foi confundido com outro desafeto do Querelado:

Besouro Verde disse:

17 de abril de 2010 às 13:47

Gostei da trilha sonora, principalmente da parte que diz: “… tem dedo de seta adoidado, todos a fim de entregar os irmãos…”. A partir de hoje temos mais algumas alcunhas pelas quais poderá ser tratado o querelado escriba: X9, alcaguete, dedo de seta, dedo-duro… Que feio!

[Responder]

Alvarenga Resposta:
abril 17th, 2010 as 21:51

Até tu por aqui, Silvinho?

[Responder]

Querelado Escriba tentou homenagear Tiradentes, porém seus parcos conhecimentos de histórias não passaram do primeiro parágrafo: autodenominou-se periodista (de qual periódico, hein?) e em poucas linhas demonstrou toda sua capacidade na elaboração de um texto. Dá-lhe toco no Cráudio novamente:

http://www.midiasemmedia.com.br/paulinho/?p=1375

Claudio disse: O seu comentário está aguardando moderação.

21 de abril de 2010 às 16:29

Você esteve presente no jogo ou no enforcamento do “mártir da Independência”?

E o que seria “mártiro”? É um mártir japonês?

Quanta confusão num texto de apenas 11 linhas…

Escriba do Blogue não tem tido vida fácil ultimamente, abundam dissabores. Todos que o acompanham sabem que por um breve período o Querelado escrevia num blogue “do bem” sobre F1; na verdade, relatava o que ouvia nas narrações de Galvão Bueno até o dia em que disse haver faróis nos bólidos, um vexame sem igual! Alertado, ainda botou a culpa no pobre Galvão. Pois bem, o tempo passou e outro colunista inaugurou o espaço que antes era dele… de coração partido, 1nh0 deu toco no Besouro Verde:

http://www.midiasemmedia.com.br/paulinho/?p=1337

Besouro Verde disse: O seu comentário está aguardando moderação.

19 de abril de 2010 às 20:49

Paulinho, e esse novo comentarista de F1 do Blogue do Birner que não enxergou os carros sem luz de freio, hein!? Sabe nada ele, né?

Semana passada tivemos um lamentável caso no jogo Palmeiras x Patético-PR envolvendo o jogador Danilo; como não poderia ser diferente, Querelado, um profundo conhecedor do saber jurídico, discorreu sobre o fato, logicamente condenando – com razão – o ato de injúria racial.

Mas tudo estava indo bem até que no post seguinte ele cagou e sentou em cima ao destilar todo seu preconceito sobre os tripulantes do Navio do Centenário! Toco em mim, no Tito Trigo e no Cráudio:

http://www.midiasemmedia.com.br/paulinho/?p=1238#comments

Carlinhos-Botucatu-SP disse: O seu comentário está aguardando moderação.

16 de abril de 2010 às 10:42

Igualitário Escriba,

Nota-se, uma vez mais, a incongruência de atitudes de Vossa Senhoria quanto a um mesmo ponto de vista, ou seja: critica ferozmente – com absoluta razão – a quem pratica o abominável racismo através de atitudes tal quais descritas no post acima (http://www.midiasemmedia.com.br/paulinho/?p=1243), porém, iguala-se àqueles que tanto critica ao emitir uma opinião sobre a tripulação navio do centenário. Atitude lamentável de sua parte.

Pobre credibilidade.

Forte abraço.

Claudio disse: O seu comentário está aguardando moderação.

16 de abril de 2010 às 10:49

Você me fala de racismo no post acima e destila todo o seu preconceito aqui? Ridículo, absolutamente ridículo.

Tito disse:

O seu comentário está aguardando moderação.

16 de abril de 2010 às 19:49

Pô cara, foi só mudar para a Cincinato e dar duas gorjetas para o entregador de pizza que já esqueceu as raízes. Virou aristocrata, bonitão?

Se Juca é contra, Querelado também! Será que se Madri fosse escolhida para 2016 eles estariam tripudiando por conta da nuvem de fumaça vinda da Islândia que paralisou os aeroportos na Europa? Claro que não, as mazelas do “dito” primeiro mundo são mais chiques que as nossas e daqui até 2016, todo e qualquer evento que prejudique a Cidade Maravilhosa será explorado pelos arautos do apocalipse olímpico.

Encerramos este post em grande estilo, com o toco ilustrado da Musa do NCDJ´s BN: Carol (e não deixem de bater uma pelada com ela, vassalos!):

.

CTRC + CTRV

09/04/2010

Via: Cruz de Savóia

O turista acidental

Ele chegou ali alçado pela massa como o salvador da pátria, como o herói que redimiria seu povo pelos anos de insucessos gerados pelos consequentes desmandos no reino. Apoiado pelos seus, pelos intelectuais da pátria  e por toda a mídia especializada, encheu-se de auto-confiança e tratou logo de anunciar projetos ambiciosos, parcerias de sucesso e progresso duradouro para seu povo.

Sua primeira atitude, no entanto, foi conciliar-se com aqueles que nós, o povo, queríamos ver longe do poder. Logo depois, tratou de entregar o comando de sua jóia mais rentável para uma dessas empresas que têm por objetivo único explorar as benesses de um reino, em detrimento de quem produz a riqueza de um povo; para dar-lhe suporte e cobrir os custos que oneravam sua administração, então, tratou logo de sobrecarregar sua gente aumentando de modo abusivo os preços que lhe cabia aumentar.

A arrogância de um rei com status de gênio afastava os críticos com comentários irônicos, naquela época.

Aos poucos veio a decepção, o fracasso de suas promessas e a desilusão do seu povo. O rei, então, perdeu a compostura, atacou quem devia e não devia, ameaçou quem podia e não podia, desceu do salto e mostrou sua verdadeira face, até que foi provisoriamente destituído de seu trono.

De lá para cá, ele aparece ocasionalmente no reino, quando o dia é bom, para projetar na opinião pública o cacoete de si mesmo, daquela esperança que um dia ele já foi.

Quando chove, no entanto, ele some e se esconde em algum grotão distante da casa que um dia o alçou ao poder: não tem mais o que dizer e nem como se defender por ter vendido seus ideais.

Hoje ele se assemelha mais a um turista, desses que passam pela rua e a gente dá pouca importância no nosso dia a dia, porque sabemos que está de passagem. E seu povo segue em frente, perdido, sem rumo, cada dia mais triste e envergonhado, esperando o sol brilhar novamente…

No UC dos juquinhas, mas bem no meio…

09/04/2010

Não me acerto mesmo. Semana passada ‘furei’ os amigos por conta do maldito fuso horário. Essa semana me atrasei, por conta de compromissos profissionais, mas não deixarei de compor a NCDJ´s BN. Eis então, mesmo com atraso, o seu, o meu, o nosso, NO UC DOS JUQUINHAS, essa que mais parece uma revista semanal do FEBEAPA que inundou a internet desde o surgimento de Kfuro e seus apadrinhados:

Ladies & Gentlemen, humilde e orgulhosamente agradecemos a todos que aqui comparecem diuturnamente para tomar conhecimento dos tocos recebidos lá no Muquif1nho. Como todos sabem, desde o último 1º de abril (não, não foi mentira) nos tornamos uma “Broadcasting”: para melhor difundirmos as barbaridades emitidas por aquele que luta incansavelmente contra os vassalos do poder corrompido – Chapolin Querelado (muito bom esse apelido) também conhecido como Blogueiro Paulo, 1nh0, Paulinho do Blogue, entre outras alcunhas.

O sucesso do NCDJ´s BN foi estrondoso e causou um alvoroço cibernético nunca antes visto neste país e muito menos em terras da Rainha Elizabeth II, onde inauguramos a nossa primeira sucursal internacional, sob o comando do Tito Trigo. Aliás, frise-se que, graças ao Trigão, pudemos angariar pomposos recursos de patrocínio para que o blogue continue com seu pândego trabalho. Clique aqui e comprove o brilhante trabalho de nosso Diretor da Sucursal No Cu em Londres.

Antes dos tocos de hoje, gostariamos de apresentar-lhes mais um de nossos patrocinadores, também conseguido através dos contatos do Trigão com o Korean Car lá em Londres – quem será é esse Korean Car, hein amigo navegante?

Aos Tocos:

Querelado Escriba é o responsável direto pela NCDJ´s BN e, portanto, não poderia ter deixado de participar do lançamento dela na semana passada: fizemos questão de comunicá-lo… porém, ele limou dos comentários nosso comunicado – e evidente que levamos toco!

http://www.midiasemmedia.com.br/paulinho/?p=854#comments

Carlinhos-Botucatu-SP disse: O seu comentário está aguardando moderação.

1 de abril de 2010 às 15:01

Querelado Escriba, permita-me um off topic

Exatamente neste instante entra no ar a NCDJ´s Broadcasting News, bem que seu Blog poderia se tornar um dos afiliados, não é?

Temos até uma sucursal em Londres a partir de hoje, evidente que você deve imaginar qual é o Vassalo do Poder Corrompido que nos patrocina lá!

Um forte abraço, continuaremos a divulgar seu crível trabalho mundo afora!

Seguem os links afiliados:

http://cruzdesavoia.wordpress.com/

http://blogdosilvinho.wordpress.com/

http://comfelelimao.wordpress.com/

https://adcastellari.wordpress.com/

http://expatriatedinlondon.blogspot.com/

http://nocudosjuquinhas.wordpress.com/

http://palestraimortal.wordpress.com/

http://chutaquiehmacumba.blogspot.com

Ler o Blogueiro Paulo falando mal do Come Risólis é divertido, agora, divertidíssimo é ver que 1nho condena todas as práticas que ele cumpre em 99,9% dos seus posts: o Cráudio mandou, mas tomou um sonoro toco de Páscoa:
http://www.midiasemmedia.com.br/paulinho/?p=906#comments

Claudio disse: O seu comentário está aguardando moderação.

4 de abril de 2010 às 15:58

É o sujo falando do mal-lavado. Outro dia mesmo você chamou os professores estaduais de nazistas…


Já que está sem o “faz tudo” Lucas Jim (caso alguém saiba do paradeiro dele, informe-nos via comentários), Paul1nho do Blogue deve ter muitas tarefas nos finais de semana e não pode ir até o Pacaembu utilizar-se daquela manjada credencial da ACEESP para ver os jogos, muito menos deve ter condições de assistir aos jogos da rodada na TV de Plasma último tipo ganha do amigo mecenas; pois bem, não é problema, é só copiar a sempre abalizada análise de um de seus criadores e ídolo – Juca Kfouri – aquele que consegue assistir na TV e opinar ao mesmo tempo sobre uns 15 jogos…

Dá-lhe ctrl-c/ctrl-v e… Toco no Cráudio.

http://www.midiasemmedia.com.br/paulinho/?p=936#comments

Claudio disse: O seu comentário está aguardando moderação.

5 de abril de 2010 às 01:38

Esses copia-e-cola constantes do juquinha é sinal de que você não assistiu aos jogos? Aliás, nem no Pacaembu o senhor anda pisando, já que a fonte de credencial parece ter secado.

Pobre jornalismo de credibilidade.


Querelado Escriba ultimamente não tem chamado seus contestadores de “Sr. Asno”, também não tem ofendido as progenitoras deles. Vez por outra os chama de lambe-botas dos vassalos do poder corrompido, como bem lembra aqui o Vinícius Duarte; o crível discente de jornalismo, para manter sua audiência alta, agora publica palavrões (acho que passou desapercebido, pois nessa ele afrontava seu grande ídolo leonor, a borboleta monarca de Vila Sônia).

Levei toco, mas consegui capturar a imagem!

http://www.midiasemmedia.com.br/paulinho/?p=945&cpage=1#comment-166476
Carlinhos-Botucatu-SP disse: O seu comentário está aguardando moderação.

5 de abril de 2010 às 10:45

Querelado Escriba,

Sugiro trocar o termo chulo do título da imagem, não “pega” bem a um crível discente de jornalista publicar palavrões em seus posts.

Forte abraço.

Segundo o Querelado Escriba: R$ 169,51 é o patuá que levou o glorioso Curíntia ao SPC; nosso especialista em Analise de Crédito manja disso, pois graças a este post do Seo Cruz, podemos observar que se há alguém que entenda de dívidas e outras querelas jurídicas é o 1nho: com o rol de “pinduras” nos seus DOIS CPF´s ele é praticamente imbatível! Até tentei lembrá-lo dessa mácula na praça com dívidas de valores inferiores, mas meu comentário nem foi compensado – levei mais um toco. E o Trigão também!

http://www.midiasemmedia.com.br/paulinho/?p=973#comments

Carlinhos-Botucatu-SP disse: O seu comentário está aguardando moderação.

6 de abril de 2010 às 11:28

Adimplente Escriba,

Lamentável, o que dirá Vossa Ilibada Persona com referência as dívidas abaixo (só inferiores ao supra citado):

1º CPF 14*.83*.00*-7*

1 Ação Judicial já executada.

– Banco Bradesco – Março 2008 = R$ 121,91

– Renata Video – Abril 2005 – R$ 13,93

– Refinanciamento Bradesco – Janeiro 2008 – R$ 121,00

Nem água sanitária limpa!

Forte abraço.

Tito disse: O seu comentário está aguardando moderação.

6 de abril de 2010 às 18:34

Macaco, olha para o teu rabo!

Em algumas situações especiais, publicamos alguns comentários que não foram contemplados com tocos pelo Querelado Escriba, talvez por falha no filtro ou por não entender o texto – hipótese mais provável – e graças à Musa do NCDJ´s, Carol Santos (tratem de bater uma pelada lá no blogue dela, seus vassalos!),  postamos uma mensagem aprovada: a do Teo.

Reparem na última estrofe, é impagável:

Teo disse:

6 de abril de 2010 às 16:01

E depois você quis
Manchar meu nome
Dentro do meu metiêr
Mexeu com a moral
De um homem
Vou me vingar de você
Porque!
Eu vou sujar!
Seu nome no seu SPC
Tu vai vê!
Eu vou sujar!
Seu nome no SPC…

Quis me fazer de otário
Mas o crediário
Já está prá vencer
Sei que eu não sou
Salafrário
Mas o numerário
Você não vai ver
Porque!
Eu vou sujar!
Seu nome no SPC
Eu vou sujar!
Seu nome no SPC…

Tenho dois CPFs,
o que você vai fazer?
Eu vou sujar!
Seu nome no SPC
Eu vou sujar!
Seu nome no SPC…

Por hoje era isso que tínhamos a mostrar-lhes, mas não se esqueçam: continuem mandando brasa lá no Chapolin Querelado, Juca Kfouri e afins; tomem tocos, copiem e colem nos comentários! Afinal, temos que manter nossas polpudas contas nas Ilhas Cayman!