Posts Tagged ‘Diretoria’

Gorgonzola e afins…

22/08/2011

Coluna do jornalista e Palestrino Adriano Pessini para o Jornal Agora (20/08/2011).

Gorgonzola e afins…

Ratazana, segundo o Houaiss, pode ser a definição de um roedor, espalhado mundialmente e associado à presença do homem. Ou o sinônimo de um pessoa ladra.

Pois foi esse o termo que Roberto Frizzo, vice-presidente alviverde, utilizou em comunicado oficial do clube para definir seus parceiros. “Tratam-se de cinco ou seis ratazanas do esgoto, que insistem em querer tumultuar o ambiente do Palmeiras”, foi a frase.

No entanto, o que mais me espanta é que Frizzo sabe quem são essas pessoas _como muitos dentro do clube também_ só que não faz absolutamente nada para combatê-las, tem medo de dar nome aos ratos. O presidente Arnaldo Tirone segue a mesma linha.

No começo de julho, por exemplo, o conselheiro Gilto Avallone deu uma entrevista ao Globoesporte.com na qual dizia: “O Tirone é outro sem caráter”. Questionado por mim sobre qual medida tomaria contra tal afronta, a resposta do dirigente foi: “Nos conhecemos há 50 anos, eu o conheço bem, deixa para lá…”.

Ou seja, o presidente do clube com a quarta maior torcida do Brasil resolveu deixar para lá. Assim como a proposta de eleições diretas foi deixada para lá, tanto como a sindicância contra o próprio Avallone foi deixada para lá… Na verdade, é o Palmeiras que está sendo deixado para lá há muito tempo por causa de egos, grupinhos e pela eterna sede de poder.

E a oposição? Os medalhões de outrora se calam, como se estivessem esperando o barco afundar de vez apenas para ver para onde os ratos correriam.

Desse jeito, não vai ter queijo para todo mundo.

“Nada me tira do Palmeiras.” Essa frase dita por Felipão é um alívio para os torcedores. Já quando é dita por alguns conselheiros…

Anúncios

IMPEACHMENTE JÁ!!!

14/05/2011

Acordo no sábado, pensando em ver boas notícias – contratações – sobre o Palmeiras e me deparo com uma entrevista de nosso presidente (Arnaldo Tirone) onde ele expõe as entranhas do clube (chama de máfia), critica jogadores (ídolos da torcida), o atual técnico do time (o chama de descontrolado) e dá munição para a imprensa, como se ela precisasse disso, continuar a nos atormentar.

Os jogadores citados e o técnico da equipe, tem todo direito – eu faria isso – de hoje mesmo pedirem para sair, e o único culpado será o destemperado e despreparado presidente do Palmeiras.

Vou ser curto e grosso: Tirone se mostrou incapaz de ser presidente do Palmeiras, pois na entrevista desvaloriza jogadores que são patrimônio do clube (dinheiro). Com isso, o Conselho deliberativo tem por obrigação cassar o seu mandato, isso mesmo, impedi-lo de continuar a ser presidente.

Ou seja… IMPEACHMENT JÁ!!!!

Quem acha que eu estou exagerando dê uma lida na entrevista:

Tirone joga gasolina na fogueira…

Pobre torcedor Palmeirense….

O barato sempre sai caro

21/02/2011

“Nós precisamos de um camisa 9. Eu já falei isso mil vezes, se quiserem me ouvir, muito bem. Se não quiserem, tudo bem também. Mas só o Kleber lá na frente não dá. Economizar dinheiro desse jeito não vai adiantar nada, vai acabar saindo mais caro. O time está jogando bem, mas ainda falta isso”.

A frase acima é do Felipão ao final de um empate em que criamos seis ou sete chances de gol, duas ou três claras, e não saimos do empate (zero a zero) com o ‘poderoso’ Mogi-Mirim.

Cabe agora ao presidente do Palmeiras entender o recado e buscar o nove, o centroavante, o goleador, o homem de área. Ou seja, atender ao pedido de nosso técnico.

Todos sabem que a situação financeira do Palmeiras não é boa, mas com a economia que vem sendo feita, ao nos ‘livrarmos’ de alguns jogadores que não estão nos planos, creio que podemos buscar algum centroavante de área para que as chances de gol que perdemos ontem não continuem a ser desperdiçadas.

E Felipão, do alto de sua sabedoria tem toda razão, pois no futebol a economia não é boa conselheira. Ou como no dito popular: ‘o barato sai caro’. Em nosso caso, o ‘bom e barato’ já nos levou ao fundo do poço.

Ainda é tempo Tirone. Às compra!

Em tempo: O que é Rivaldo? O que é Márcio Araújo?

Recomeço

15/07/2010

Exatamente 39 dias após a sua última apresentação no campeonato brasileiro (Internacional 1 x 1 Palmeiras) o nosso Verdão reinicia hoje a sua caminhada neste brasileirão.

Recomeço é a palavra de ordem desses novos tempos que parecem se avizinhar pelos lados do nosso Palestra Itália. E olha que tudo parece novo.

O recomeço será em nova casa, já que a nossa está fechada para uma remodelação. O bom e velho Pacaembu, uma de nossas casas nos próximos dois anos, que ao contrário do que dizem não é a casa de nosso maior rival, é – saibam e batam no peito – um verdadeiro templo alviverde, pois lá conquistamos inúmeras vitórias e títulos.

Aliás, esse recomeço se faz assentado em velhas figuras. Figuras que nos enchem de esperanças, pois foi sob o signo Parmalat e Felipão, ambos de volta, que conquistamos nosso último grande triunfo, a Taça Libertadores. Além desse título, depois da era Felipão/ Parmalat, somente o Paulista de 2008, já sob a famigerada parceria com a Traffic.

Aliás, a saída da Traffic, que se não foi anunciada de direito está se dando de fato, pode ser mais um marco desse recomeço. Ontem, de forma que só os traidores fazem, na calada da noite, às vésperas de um clássico, esse nefasto grupo – que somente se serviu do Palmeiras até o momento, retirou de nossas hostes seu último ‘produto’: o meia Cleiton Xavier. Boa sorte ao Cleiton. Vade retro Traffic.

De volta também, e com presença já confirmada para hoje à noite, temos o Gladiador (Kleber). Em breve, pelo que se ouve, teremos de volta nosso Mago (Valdívia). Além, destes, quem sabe mais um avante, um zagueiro, outro meia, talvez um lateral.

Com as já confirmadas presenças de Kleber e Felipão, e quem sabe com a volta do Mago e a vinda de mais alguns reforços, e a saída da Traffic, teremos – como estamos pedindo há tempos – o nosso Palmeiras de volta. Aquele que aprendemos a admirar; o Palmeiras que não se entrega; o Palmeiras que é o time da virada, da raça, do sangue, do espetáculo…

Cabe aqui ressaltar o papel importante que a torcida cumpriu nesses duros tempos de seca. Ao contrário do que alguns dizem, muito ao contrário por sinal, foi somente a pressão da torcida nas arquibancadas e a vigilância de uma rede de Palestrinos na internet, que fez com que a diretoria se mobilizasse e retomasse o caminho de um Palmeiras grande. Um verdadeiro recomeço também para ela, que estava perdida, acomodada e errando demais.

Ao contrário do que muitos afirmam esse ‘novo’ Palmeiras tem a cara que sua torcida quer, a cara de vencedor, o espírito de vencedor. Nada de parceiros e jogadores que somente pensam em si. Hoje, o grande Palmeiras recomeça a trilhar o caminho de sua grandeza.

Hoje, no Pacaembu estaremos lá – faça frio ou calor, chova ou não (apesar de que isso, a chuva, é a única coisa que não muda, pois chove novamente) – para incentivarmos, agora com as esperanças renovadas de que esse recomeço seja o marco de uma nova era de vitórias e conquistas.

Força Palestra!

A Lusa das Perdizes

31/05/2010

Há quem torça o nariz, inclusive me xingue, quando digo que essa diretoria está transformando o Palmeiras em time médio, uma autêntica Lusa das Perdizes.

Pois bem, a cada decisão da atual diretoria essa máxima se confirma, para minha tristeza, para o desespero daqueles que torcem o nariz quando digo isso, e para a alegria dos adversários.

Sábado me desloquei com alguns Palestrinos de alma e sangue verde até a Arena Barueri e assisti a mais um show de horrores. Sim, atualmente acompanhar o Palmeiras tem trazido momentos de puro desespero e terror. Se nossa defesa se mostra confiável, nosso meio campo (armação) e ataque é um amontoado de gente improdutiva, que não consegue um gol, um mísero gol, para nos dar um momento de ilusão. Mas, não para por aí. Puro desespero.

Na volta, ouvindo os programas esportivos, ficamos sabendo da nova e brilhante idéia de nossa iluminada diretoria. Confirmando a vocação para time médio nossa ilustre diretoria contratara, naquele dia, como gerente de futebol, nada mais nada menos que Candinho. Isso mesmo, o brilhante, visionário e atualíssimo Candinho foi anunciado sábado à noite como gerente de futebol do Palmeiras. Meu Deus, exclamação, deve ter dito Avallone ao saber da ‘boa nova’; agora vai, disse eu.

Mas, o festival de trapalhadas da atual diretoria não para por aí. Hoje, pouco antes de escrever esse texto, me deparo com uma nota (isso mesmo nota, pois o Palmeiras agora não gera mais matérias já que é time médio) de que a brilhante e excelente diretoria do Palmeiras não chegou a um acerto de salários com Candinho e esse não será mais o gerente de futebol do Verdão. Como diria Zagallo: Aí sim, fomos surpreendidos novamente!

Desse novo episódio patético de nossa diretoria concluo duas coisas: 1) a providência divina vem trabalhando a favor do Palmeiras; e, 2) somos sim a Lusa das Perdizes.

____________________

Em tempo: Alex Muller, em seu twitter, dá como certa a volta do Gladiador Kleber. Em se confirmando a nota de Alex Muller, eu só acredito depois que Kleber fizer sua estréia, pois não acredito em nada que é feito por essa diretoria, será a primeira bola dentro dessa diretoria em anos. Mas, sobre isso escrevo depois.

Queremos o nosso Palmeiras de volta!

Renúncia coletiva!

Pobre Palmeiras, pobre torcedor Palmeirense

27/05/2010

Não fosse o fato de estarmos há anos – o que se chama de tabu – sem vencer naquele privadão na A Lôca, não fosse o fato daquele time covarde não ter vencido clássico algum há sete meses, nada me faria crer que o Verdão ontem venceria o “clássico” no Morumbi na boate A Lôca. Nada! Mas, eu acreditei. Fui enganado novamente. Mas, é que sou um crédulo, pois os fatos – todos eles – apontavam para mais uma derrota de nosso time. Vejamos.

Como esperar uma vitória de um time que insiste – e insiste, vale ressaltar – em perder pênaltis. Me parece que são apenas dois certos nos últimos nove cobrados?

Como esperar a vitória de uma equipe que tem um único armador no elenco – sim, único, pois Lincoln é meia/atacante – e ele vive se machucando, e quando isso acontece temos que ver o técnico – aquele que disse gostar de futebol ofensivo – colocar em seu lugar um volante que tem no passe errado a sua maior virtude? Quando entra um armador no time, para substituir o que se machucou, ele atende pelo nome de Ivo. Convenhamos que é muito pouco para crer em uma vitória mesmo contra o Grêmio Barueri.

Como esperar a vitória de uma equipe que não conta no elenco com nenhum centroavante de ofício? Conta sim, pois lá está o Paulo Henrique. O problema é que como ele nunca é utilizado parece que não contamos com esse ‘homem gol’. Se é para não usar porque veio?

Como esperar a vitória de uma equipe que por falta de planejamento lança mão de um garoto das categorias de base, que não tem nem dezessete anos ainda, como esperança de gols, esses que andam tão raros – exceção do último sábado – para o nosso lado ultimamente? Não que eu seja contra aproveitar garotos da base, pelo contrário, mas é que em momentos como o que vivemos – de seca de gols, de ruindade, de elenco fraco – não dou o direito da comissão técnica e da diretoria de ‘jogar o garoto às feras’ e queimar quem possa vir a ser um bom jogador no futuro. Eles não têm esse direito.

Como esperar a vitória de uma equipe que não tem um técnico em seu banco de reservas. Sim, não tem, pois com todo respeito ao Parraga, que pode ter lá suas qualidades, não é o Palmeiras uma “Santa Casa da Misericórdia”, onde interinos se firmarão, mesmo que aos cinqüenta e nove anos de idade, como treinadores que nunca foram. Não é o Palmeiras uma “instituição de caridade” onde treinadores estagiários ganharão experiência para se firmarem no ‘profissional’ mundo do futebol.

Como esperar a vitória de uma equipe que não tem uma diretoria. Aliás, equipe que tem um amontoado de diretores que mostram sua incompetência diuturnamente, que não se entendem e não entendem a grandeza da instituição que dirigem. Apenas pensam em galgar postos mais altos na hierarquia Palestrina. O problema é que daqui a pouco estes mesmo apequenaram tanto essa instituição que nem mesmo eles vão querer dirigir a “Lusa das Perdizes” em que vem transformando o Palmeiras.

Enfim, apenas nós – os torcedores – de novo presentes ontem, como sempre fazemos, naquele ambiente inóspito, de novo sob chuva, para acreditar em uma vitória. Creio até que muitos dos que lá estavam também não acreditavam na vitória, estavam lá por uma missão, aquele de que já tratei aqui, uma missão que foi nos passada por nossos antepassados, a missão de continuar a mística – que essa diretoria vem jogando na lata do lixo – do time dos “italianinhos”.

Por falar nisso, somente mais dois comentários.

O primeiro é o desencontro de informações vindos dessa diretoria. Cipullo descarta, Del Grande confirma, Beluzzo se cala. Felipão não vem; pode vir; quem é Felipão? Kléber não virá; vem; Kléber?

O segundo é sobre a bomba que explodiu no meio da torcida do Palmeiras e que nossa diretoria de ‘gentlemen’ disse não ser culpa ‘dos donos da casa’. Só para refrescar a memória de nossa dileta diretoria, desses signori que nos dirigem, vale lembrar que a pouco tempo atrás, no famoso caso do gás, ameaçaram nosso estádio de interdição, a polícia interveio, a imprensa nos condenou antecipadamente, os Leonores nos humilharam. Agora, nossos excelentes dirigentes, deixarão passar mais esse ato de hostilidade vindo do inimigo.

Estão ou não se rebaixando – e nos rebaixando? Mas, só para lembrar de novo, lá no interior, os italianos – não tão excelentes como os daqui, mas mais talhados em reconhecer quem lhes humilha, pois foram forjados nas lavouras de cafés, humilhados por esses mesmos que nos humilham aqui: os barões do café – sempre disseram, e educaram os seus (eu um deles), que quem muito se abaixa mostra os fundilhos!

Pobre Palmeiras!

Pobre torcedor Palmeirense!

Queremos jogador!

Queremos técnico!

Queremos uma diretoria que honre nossas tradições!

Tudo como dantes…

07/05/2010

Segundo informações do Alex Muller, em seu blogue: KiGol, tudo continua igual no Palestra. O mesmo estagiário (técnico), o mesmo diretoria de futebol (a incompetência), o mesmo parceiro (Traffic) mandando e desmandando. Leiam a informação de Alex Muller:

FICOU TUDO COMO ESTAVA

A cúpula palmeirense se reuniu durante a noite desta quinta-feira com o intuito de buscar uma solução para a mais nova crise instalada no Palestra. Mas os palmeirenses terão que se conformar com o processo atual, pois tudo ficou como estava. A diretoria de futebol foi mantida e o técnico Antônio Carlos Zago também.

O marasmo não ficou por aí, e no caso Diego Souza, nada foi resolvido. O Palmeiras não quer tomar nenhuma atitude mais drástica, afinal o camisa 7 pertence a parceira Traffic e qualquer decisão radical desvalorizaria o jogador e estremeceria ainda mais a relação com os investidores. Uma proposta oficial do Qatar chegou ontem, no final da tarde. € 4 milhões foi a oferta do Al Rayyan, mas prontamente negada.

Se serve como consolo, o Palmeiras deve acertar a contratação do lateral  esquerdo Carlinhos, de 23 anos, revelado pelo Santos, com passagem pela seleção brasileira e que disputou o último Paulistão pelo Santo André. Confirmada mesmo é a estreia do lateral direito Vitor, ex-Gioás, que após dois meses sem jogar, vestirá pela primeira vez a camisa do Palmeiras, na abertura do Campeonato Brasileiro, neste sábado, 18h30, no Palestra Itália.

Só nos resta dizer:

CLIQUE NO LINK E DEPOIS APERTE O BOTÃO